11ª Edição da Festa Nacional do Fandango acontece no final de semana

por Redação JB Litoral
14/08/2020 12:49 (Última atualização: 14/08/2020)

De acordo com o secretário de cultura e turismo de Paranaguá, Harrison Camargo, esta é uma ótima oportunidade para enriquecer e fortalecer todos os elementos relacionados a cultura do fandango. Foto/Marcio Tibilletti

Inicia no sábado (15), as comemorações para a 11ª edição da Festa Nacional do Fandango Caiçara de Paranaguá, na Ilha dos Valadares em Paranaguá. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a Covid-19, o evento será transmitido ao vivo pelas redes sociais para que toda a população possa participar, mesmo de casa.

Na abertura, às 15h, haverá uma mesa de debates sobre a Lei Aldir Blanc e a Cultura Caiçara, com a participação de representantes do Conselho Estadual, produção e mestres. Já às 19h terá o baile do fandango virtual com os grupos: Mestre Brasílio e Pés de Ouro, de Paranaguá; e, Fandanguara e Canutilho Temperado, de Guaraqueçaba.

No domingo, às 15h, a mesa de debates será com o grupo Pixirão Novo e os desafios frente a Covid-19. Estarão participando os agentes culturais da comunidade. Às 19h, acontecerá o baile virtual com os grupos: Mestre Romão e Mandicuera, de Paranaguá; Cirandeiros de Paraty, de Paraty (RJ) e Manema, de Iguape (SP).

Na segunda-feira (17), acontecerá uma reunião fechada com os representantes dos grupos do fandango caiçara, Coletivo Deliberativo Nacional para salvaguarda do fandango pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Um dos idealizadores do evento, Aorélio Domingues, membro atuante da cultura caiçara, encabeçou a proposta de transformar a tradicional festa dos bailes públicos em um evento online, somente neste ano devido aos protocolos de distanciamento social. “O Fandango resiste há mais de 400 anos e não é uma pandemia que vai fazer com ele suma. Adaptamos o contexto da festa e prontamente a Secultur atendeu ao nosso pedido para não deixar que o evento acabe. Paranaguá é uma região pioneira que influencia outros lugares a fazerem celebrações em prol da cultura caiçara”, pontuou.

De acordo com o secretário de cultura e turismo de Paranaguá, Harrison Camargo, esta é uma ótima oportunidade para enriquecer e fortalecer todos os elementos relacionados a cultura do fandango. “É de suma importância para a cultura da nossa cidade e do Estado, manter viva a tradição do fandango, já que é patrimônio imaterial, com a participação dos grupos de várias regiões do país nesses onze anos que acontece a festa em Paranaguá, trocando ideias e experiências, através das mesas de conversa”, explica.

Vale destacar que a festividade será transmitida pela página oficial do evento www.facebook.com/fandangoparanagua.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

PATRIMÔNIO IMATERIAL DO LITORAL

O Fandango Caiçara foi registrado pelo IPHAN como patrimônio imaterial do Brasil, em novembro de 2012, e é uma expressão musical coreográfica poética e festiva, que ocorre tanto no litoral sul do Paraná, quanto no litoral sul de São Paulo.

Assim, tornou-se um dos bens imateriais que compõe o Patrimônio Cultural do Brasil, pois tem uma estrutura bastante complexa e se define em um conjunto de práticas que trabalham não apenas o divertimento, mas também a religiosidade, a música e a dança.

O Fandango Caiçara é compassado na batida dos tamancos e bailado ou valsado, cujas diferenças se definem pelos instrumentos utilizados, pela estrutura musical, pelos versos e toques.

Nos bailes, como são conhecidos os encontros onde há as cantigas, são valorizadas as redes de trocas e diálogos entre as gerações, o intercâmbio de instrumentos, afinações dos instrumentos, modas e passos viabilizando a manutenção da memória e da prática das diferentes músicas e danças.

É uma forma de expressão profundamente enraizada no cotidiano das comunidades caiçaras, um espaço de reiteração de sua identidade e determinante dos padrões de sociabilidade local.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments