2,5 milhões de pessoas por ano são infectadas com HIV, diz estudo

por Redação JB Litoral
19/07/2016 16:54 (Última atualização: 19/07/2016)

NULL

Foto: Web

(FOLHAPRESS) – Dois milhões e meio de pessoas são infectadas anualmente pelo vírus da Aids. O dado foi divulgado nesta terça (19) na revista médica britânica “The Lancet”. O estudo reúne estatísticas de 195 países entre 1980 e 2015.

O número de novas infecções permaneceu relativamente estável no período estudado e os novos tratamentos reduziram a mortalidade vinculada à doença, segundo o estudo.

Segundo o relatório, 38,8 milhões de pessoas viviam com o HIV em 2015, um número que aumenta regularmente desde 2000, quando totalizavam 28 milhões.

As mortes provocadas pela Aids caíram de um pico de 1,8 milhão em 2005 a 1,2 milhão em 2015, especialmente graças à intensificação dos tratamentos antirretrovirais (ARV) e à prevenção da transmissão do vírus de mãe para filho.

A quantidade anual de novas infecções permaneceu relativamente constante em um nível de 2,5 milhões por ano no mundo nos dez últimos anos, após um período de rápido declínio a partir de um pico de 3,3 milhões de novos infectados em 1997.

A utilização de tratamentos ARV (antirretrovirais) avançou rapidamente de 6,4% em 2005 a 38,6% em 2015 para os homens infectados, e de 3,3% a 42,4% para as mulheres no mesmo período.

Apesar dos avanços, a maioria dos países estão longe de alcançar o objetivo fixado pela Unaids até 2020, que consiste em tratar 90% dos pacientes infectados.

Em 2015, 41% dos soropositivos recebem um tratamento ARV, segundo o estudo.

Essa cobertura terapêutica é muito variável entre diferentes regiões e países. É necessária uma intensificação dos tratamentos, em particular no Oriente Médio, África do Norte e Europa do Leste, assim como em alguns países da América Latina.

Alcançar o objetivo da Unaids até 2020 implica tratar com ARV 81% das pessoas infectadas.
Suécia, Estados Unidos, Holanda e Argentina estão perto de atingir esta meta. A América Central, o Caribe e países como Venezuela (35%) e Bolívia (24%) figuram entre os mais atrasados.

Chegar a 81% de cobertura terapêutica ART significa tratar 3,1 milhões de soropositivos adicionais por ano entre 2015 e 2020, destacam os autores.

Em 2015, 1,8 milhão de novas infecções ocorreram na África subsaariana, seguidas por 212.500 no sul da Ásia.

Entre 2005 e 2015, a taxa de novas infecções por HIV aumentou em 74 países, especialmente Indonésia, Filipinas, África do Norte e Oriente Médio, assim como em alguns países da Europa Ocidental, como Espanha e Grécia.

“Ainda existem grandes incertezas sobre as estimativas da quantidade de novas infecções por HIV em muitas regiões do mundo”, afirmam duas pesquisadoras francesas, Virginie Supervie e Dominique Costaglia.

UNAIDS

Um estudo da Unaids (Agência da ONU para Aids), divulgado na semana passada, já havia apresentado o quadro estável de novas infecções por HIV no mundo. A pesquisa analisa o período de 2010 a 2015.

Segundo o relatório da Unaids, 1,9 milhão de pessoas foram infectadas nos últimos cinco anos.
Houve um crescimento de 4% dos casos no Brasil, o que representa 40% das novas infecções por HIV na América Latina e Caribe.

Deixe um comentário