26ª criança recebe enxoval pelos 188 anos de independência do Uruguai

por Redação JB Litoral
25/08/2013 00:00 (Última atualização: 25/08/2013)

NULL

Pelo 26º ano consecutivo a Cônsul Leda Borges, presenteou a primeira criança nascida, hoje, em Paranaguá, em razão da comemoração dos 188 anos de independência do Uruguai.

A comemoração se repete há mais de um quarto de século.  Ou seja, há 26 anos consecutivos, Dona Leda Pedrosa Borges, cônsul honorária do Uruguai, em Paranaguá, marca a Data Nacional de seu País, com um ato muito especial: nesse dia, presenteia, com um enxoval completo, confeccionado por ela e por amigas, a primeira criança nascida no dia 25 de agosto no Hospital Regional do Litoral.

A cônsul participou ainda de um café da manhã com a direção do hospital e registrou o nascimento da filha de Josiane Alves dos Santos, uma linda menina que nasceu com 4.275 quilos, que leverá o nome de Olivia.  A mãe é moradora na  Rua 37, do bairro da Vila Bela, na Ilha dos Valadares, coincidemente, mesma localidade onde mora Anselmo Luvizotto, que trabalha no Hospital Regional e esteve presente no café da manhã e na foto histórica ao lado da bela Olivia e da cônsul Leda Borges.

Ela recebeu um enxoval completo com as cores do Uruguai, das mãos da cônsul Leda Borges.

 

A independência do Uruguai

 

O início do século XIX foi marcado na América pelo processo de independência das colônias espanholas. A República Oriental do Uruguai declarou sua independência em 25 de agosto de 1825, após muitos anos de guerras e disputas que envolveram Espanha, Portugal, Brasil e Argentina.

O reconhecimento oficial da independência do Uruguai só aconteceu em 28 de agosto de 1828 com a assinatura do Tratado de Montevidéu entre Brasil e Argentina.

 

O início do século XIX viu o surgimento de movimentos de independência por toda a América do Sul, incluindo o Uruguai, então conhecido como a Banda Oriental del Uruguay (isto é, “faixa a leste do rio Uruguai”), cujo território foi disputado pelos estados nascentes do Brasil, herdeiro de Portugal, e da República Argentina, com capital em Buenos Aires, herdeira do Vice-reinado do Prata da Espanha.

Portugal havia recuperado a área a partir de 1816, através de intervenção militar, apoiada pela oligarquia bonaerense, contra a independência de forte cunho social comandada por José Artigas, e anexou-a formalmente em 1821 (ler Incorporação da Cisplatina em História do Brasil). A Banda Oriental passou a fazer parte do Brasil como seu território mais austral, quando em 1822 o país obtém a sua independência de Portugal (vide independência do Brasil). A região passou a fazer parte do nascente império, havendo ocabildo de Montevidéu jurado a Constituição Imperial de 1824, sem ter o direito de o fazer. A 23 de Agostode 1825, no entanto, setores descontentes com a política agrária em favor dos grandes proprietários de Montevidéu e do Brasil, organizaram movimento de libertação nacional do Uruguai e de sua incorporação às províncias argentinas.

 

A província austral se tornaria independente com a assinatura do Tratado de Montevidéu, em 1828. As negociações para a independência tiveram a mediação de George Canning, então chefe do Ministério do Exterior britânico, que visava consolidar a livre-navegação do rio da Prata. De modo a se criar símbolos nacionais ao novo país independente, o sentimento separatista foi vinculado ao General Artigas, que sustentou as lutas contra a anexação da Banda Oriental, seja por Portugal ou pelas Províncias Unidas do Rio da Prata, entre 1810 e 1820. Após 1822, já sob controle do recém-criado Império do Brasil (e não mais da Coroa Portuguesa), o Uruguai inicia o processo final que leva à sua própria independência, que foi satisfatória para os partidários blancos, vinculados aos estancieiros do interior, a separação não desagradou aos colorados de Montevidéu, que tiveram o primeiro presidente constitucional entre seus quadros e se entendiam mal governados pela corte brasileira.

 

O Uruguai na atualidade

 

O Uruguai é um dos países economicamente mais desenvolvidos da América do Sul, com um dos maiores PIB per capita, em 48º lugar no índice de qualidade de vida (2011) e o 1º em qualidade de vida/desenvolvimento humano na América Latina, quando a desigualdade é considerada. Segundo aTransparência Internacional, o Uruguai é classificado como o segundo país menos corrupto da América Latina (atrás do Chile), embora a pontuação do Uruguai seja consideravelmente melhor do que a do Chile em pesquisas de percepção de corrupção doméstica. Foi o país latino-americano melhor classificado no Índice de Prosperidade Legatum. A Reader’s Digest classificou o Uruguai como o nono país “mais habitável e verde” do mundo e o primeiro nas Américas.

Deixe um comentário