30% dos casos de Covid-19 foram registrados nos últimos 41 dias

por Redação JB Litoral
14/12/2020 10:06 (Última atualização: 14/12/2020)

Para o secretário da Saúde, a situação é de extrema preocupação. (Foto: Américo Antonio/SESA)

Há nove meses os primeiros casos de Covid-19 foram confirmados no Paraná. O coronavírus chegou e com ele a incerteza de qual seria a evolução da doença, se viveríamos a mesma realidade de outras partes do mundo que havíamos acompanhado como espectadores.

Os casos cresceram gradativamente e o pico teria ocorrido supostamente em agosto, com estabilidade dos casos nos meses que se seguiram. Entretanto, o relaxamento de medidas de prevenção, como o isolamento social, resultou em uma curva ascendente e preocupante. Somente em novembro e nos 11 primeiros dias de dezembro – até sexta-feira (11) – o número de casos é maior do que o acumulado nos primeiros cinco meses da pandemia no Estado.

Foram 98.329 diagnósticos em 41 dias, quase um terço do total (30,7%) de todo o período, que somou 320.088 diagnósticos positivos até a sexta-feira (11). Neste mesmo recorte, em relação aos óbitos, ocorreram 1.169, representando pouco mais de um sexto (17,7%) do total de 6.575 .

“O cuidado individual possibilita evitar a transmissão do vírus. O distanciamento, aliado ao uso de máscaras, dificulta o contágio com as gotículas de saliva que possam estar infectadas pelo novo coronavírus. Os números são elevados e a situação é muito séria”, enfatiza o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

De 12 de março a 31 de julho (142 dias), o Estado registrou 83.690 diagnósticos positivos da doença e 2.113 mortes. De 1º de agosto a 11 de dezembro (133 dias), foram 236.398 testes positivos, com a ocorrência de 4.530 óbitos devido a complicações da doença.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Para o secretário da Saúde, a situação é de extrema preocupação. “Estamos num período em que tudo o que fizemos até agora é colocado em cheque. O Estado tem atuado de forma ágil para viabilizar todo o insumo e suporte aos pacientes, mas a quantidade de pessoas que estão se infectando aumentou e extrapolou a possibilidade de aumentar leitos.”

Beto Preto reforça que todos estão trabalhando com esforços no limite. “Estamos no limite de leitos, realizando o máximo de exames por dia, as equipes estão exaustas, a rotina dentro de uma UTI Covid é mentalmente desgastante e fisicamente cansativa”.

O Estado ativou 2.876 leitos exclusivos para Covid-19 no período. Destes, 1.120 de UTI adulto, 22 UTI pediátrica, 1.700 enfermaria adulto e 34 leitos de enfermaria pediátrica. Em nove meses foram mais de 20 mil internações.

Fonte: AEN

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments