ABI diz que ordem de tirar do ar textos sobre a Lava Jato é censura

por Redação JB Litoral
04/06/2016 14:32 (Última atualização: 04/06/2016)

NULL

(FOLHAPRESS) – A ABI (Associação Brasileira de Imprensa) divulgou uma nota nesta semana contra a decisão da Justiça do Paraná que mandou retirar do ar textos com críticas à Operação Lava Jato. Os textos haviam sido publicados no blog do jornalista Marcelo Auler.

Um das sentenças, segundo o advogado do jornalista, determina que o blog não só retire do ar as reportagens listadas no processo como se abstenha de divulgar novas matérias “com conteúdo capaz de ser interpretado como ofensivo ao reclamante [um delegado da Polícia Federal]”.

“A ABI denuncia o restabelecimento da censura através da decisão da Justiça do Paraná ao determinar a remoção de textos e proibir reportagens sobre a Operação Lava Jato e a Polícia Federal”, afirma o texto da nota.

“A medida proferida pela Justiça de Curitiba representa também perigoso precedente ao exumar mecanismos de controle da expressão do pensamento usados sem parcimônia durante a ditadura militar”, continua.

Por fim, o texto afirma que os delegados que se sentiram ofendidos pelo blog dispõem de outros meios para se defender, “sem a necessidade de vivificar procedimentos de caráter autoritário que se acreditava sepultados para sempre com o fim do regime de 1964”.

O jornalista foi acionado na Justiça pelos delegados da PF Erika Marena e Mauricio Moscardi Grillo, integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

A advogada que representa os dois delegados, Márcia Marena, afirmou que em nenhum momento foi determinado pelo Judiciário que se retirassem do ar reportagens sobre a Lava Jato, mas, sim, conteúdo considerado ofensivo.

Deixe um comentário