Anúncios online são risco para quem procura casa de praia para alugar

por Redação JB Litoral
20/11/2020 21:48 (Última atualização: 1 semana atrás)

Nas plataformas online proprietários e interessados ficam expostos a riscos (Foto: Facebook/Reprodução)

Por Amanda Yargas

No verão muita gente quer alugar um imóvel para aproveitar as férias e um dos destinos favoritos são as praias. Para não estourar o orçamento com hotéis, há os que optam por locar um imóvel de forma temporária, mas é preciso estar atento para não cair em uma cilada. Foi o que aconteceu com o designer Jefferson Faria e um grupo de mais sete amigos. O plano era passar o carnaval, deste ano, em Guaratuba.

Ele contou que um dos amigos viu um anúncio de uma casa pela OLX e todos gostaram da casa e do preço. A partir daí começaram a falar com o anunciante por mensagem. “Era uma conta de WhatsApp business, então tinha descrição, foto do cara, falava que era modelo profissional, tinha o @ do Instagram dele, tudo parecendo confiável. Entramos no Instagram, o cara realmente existia e tudo mais, não desconfiamos que poderia ter um problema aí”, contou. Faria disse que, na conversa com o anunciante, a pessoa disse que morava em Florianópolis, o que batia com as imagens no Instagram e com o número de telefone com DDD de Santa Catarina, e que estava alugando a casa dos pais dele no litoral paranaense.

O  anunciante mandou um contrato, que foi assinado por um amigo de Faria e a conta para depósito da entrada, no valor de R$1.800,00. O grupo reuniu o dinheiro e pagou a locação e na semana seguinte, uma semana antes do carnaval, quando tentaram combinar a entrega da chave, é que perceberam que algo estava errado. O anunciante não respondia mais e o WhatsApp dele tinha parado de funcionar. “Como a gente tinha o Instagram, resolvemos mandar mensagem por lá. O cara falou que era o terceiro contato que ele recebia naquela semana contando a mesma história. O golpe foi tão bem bolado que o titular da conta tinha o mesmo nome do cara que teve a identidade roubada”.

Quem passou por uma situação semelhante, mas na posição de quem tem o nome e número de documentos roubados para ser colocado como proprietário de um imóvel à venda, foi o deputado estadual Requião Filho (MDB).

Ele contou ao JB Litoral que, no ano passado, uma pessoa que queria alugar uma casa na praia entrou em contato com o deputado, avisando que o nome dele estava sendo usado em um golpe. Ela desconfiou que a proposta era falsa porque algumas informações sobre o deputado estavam erradas.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Como evitar o golpe?

Requião Filho disse que o mais indicado ainda é alugar de algum conhecido ou de sites e imobiliárias de confiança. “Se apostar em um anúncio que apareceu no Facebook em uma praia onde a média é de 100 reais o dia e tem alguém alugando o apartamento por 30 reais o dia, é mais prudente desconfiar que não seja real. Desconfie sempre que algo estiver muito barato. Não existe um grande negócio, um negócio da China, o mercado estabelece o preço e temos que trabalhar dentro dessa realidade. Quando a gente quer levar muita vantagem, acaba se expondo a um possível golpe”, avaliou Requião.

Outro problema, que acontece com frequência, é que às vezes o imóvel existe, mas não está nas condições descritas no anúncio. Segundo a diretora do Procon-PR, Claudia Silvano, o ideal é visitar o imóvel antes de fechar qualquer contrato ou pagar qualquer valor. Mas, como nem sempre isso é possível, ela orienta que quem quer alugar busque alternativas, pois “hoje na internet existem ferramentas que podem ser utilizadas para verificar se de fato aquele imóvel existe, qual a condição, pedir fotos e verificar a estrutura próxima. Porque também não adianta você locar um imóvel que supostamente tem uma infraestrutura bacana, mas quando chega lá não tem um mercado, uma farmácia, não tem nenhuma estrutura que garante conforto por perto.”

Como resolver

Claudia Silvano reforça que a locação por meio da imobiliária é mais segura e que entre particulares traz riscos às duas partes. “O proprietário pode encontrar uma situação em que o imóvel é destruído ou as pertenças acabem desaparecendo após a locação”. Para evitar discussões sobre móveis e eletrodomésticos da casa, ela indica que o inquilino teste os aparelhos e confira as condições de tudo e registre com imagens ou por mensagem aquilo que não estiver em perfeitas condições. Nesse caso, é possível pedir um abatimento no valor do aluguel.

Com os golpes, o caminho é pela Justiça. Jefferson Farias e os amigos fizeram um B.O contra o anunciante. “É um caso de falsidade ideológica. O golpista pegou um homônimo para poder aplicar o golpe. Então ele usou a imagem de outro cara, mas a conta bancária e os dados do CPF dele e, com isso, a gente descobriu que ele é do interior do Paraná e tem diversos processos aqui e em Santa Catarina”. Mesmo assim, o designer conta que o grupo perdeu o feriado e, com pouco dinheiro e desanimados, a maioria acabou ficando em casa mesmo.

Deixe um comentário