Após ficar de fora de edital, SECULTUR habilita Associação de Voleibol Paralímpico do Litoral

por Redação JB Litoral
04/07/2017 16:09 (Última atualização: 04/07/2017)

Após ter sido inabilitada no chamamento público para desenvolvimento de projetos esportivos, a Associação de Voleibol Paralímpico do Litoral (AVPL) e Atletismo de Paranaguá obteve aprovação concedida pela prefeitura de Paranaguá, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo (SECULTUR) na última sexta-feira (30).

Na semana passada, por meio das redes sociais, uma das voluntárias do projeto, a pedagoga Shirley Marodin Marques havia postado num grupo de WhatsApp a inabilitação do projeto. Na ocasião, ela havia comentado que por ausência de um documento, a AVPL havia ficado de fora deste edital, situação repercutida na edição impressa do JB na segunda-feira, 04.

Porém, em entrevista concedida na terça-feira, a pedagoga comemorou o fato de a situação ter sido revertida e o projeto tornou-se apto.

“Estávamos preocupados porque neste ano o projeto ficou bem difícil de ser formatado, então ficamos no impasse para conseguir toda a documentação e formular o plano de ação. Neste emaranhado, um documento acabou indo para a prefeitura sem a devida autenticação, que foi o RG do presidente da associação.

Com isso, em um primeiro momento, ele tornou-se inabilitado, o que nos deixou muito aflitos em virtude das nossas conquistas recentes e dos campeonatos que ainda temos para participar neste ano. Procurei o cartório para tentar uma data retroativa para a autenticação e isso não foi possível. Procurei a secretaria e eles me informaram que não tinha possibilidade de reverter, mas me sugeriram para procurar o departamento jurídico da prefeitura. Mesmo assim, não houve jeito. Por fim, fui até ao Ministério Público e procurei me informar e conseguimos um amparo legal que nos permitiu entregar o documento autenticado e o projeto tornou-se habilitado para ser desenvolvido”, explicou.
 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Projeto Vôlei de Praia também foi habilitado
 

A coordenadora da AVPL ressaltou ainda que até mesmo o Projeto Vôlei de Praia, que havia apresentado problema semelhante, também foi habilitado e seguirá formando os atletas e descobrindo novos talentos na modalidade de vôlei de praia. “Assim quem ganha é a cidade e os parnanguaras com isso”, disse Shirley.

Com o fim do impasse, a Associação Paralímpica de Voleibol e Atletismo receberá cerca de R$ 37 mil para o desenvolvimento de atividades para os próximos seis meses, montante este que será destinado para custear despesas dos atletas em competições. De acordo com Shirley, o alcance da modalidade é “nacional e com atletas de alto rendimento”.  Para a voluntária, apesar do imbróglio, prevaleceu o bom senso. “A associação em nenhum momento procurou descumprir os requisitos presentes no edital, admitimos o erro quando da ausência do documento autenticado, mas agradecemos à secretaria por entender a relevância da nossa agremiação e agora vamos fortalecer nossas bases para trazer resultados cada vez mais positivos para a cidade”, finalizou.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments