Após vencer dois cânceres, moradora de Antonina luta contra a doença pela terceira vez

por Cleverson Teixeira
26/10/2020 14:41 (Última atualização: 27/10/2020)

Andreza enfrenta a batalha há quase quatro anos (Foto: arquivo pessoal)

Todo mundo sabe que, receber um diagnóstico de câncer, não é nada fácil. Isso vale, também, para quem nunca sentiu na pele o medo e a dor ocasionados pelo impacto da notícia. De tanto espanto com a doença, muitas pessoas preferem não pronunciar o seu nome. Tem aqueles que usam o termo “CA”, ou, até mesmo, “coisa maligna”.

Mas esse não é o caso de Andreza da Silva Neves, de 31 anos. Moradora de Antonina, casada, mãe de um menino de 14 anos e uma menina de 8, ela enfrenta a terceira batalha contra o câncer. Apesar de ter ficado em choque quando recebeu o resultado de uma biópsia realizada na mama direita, o qual, em 2017, confirmou a presença de dois nódulos malignos no seio e um na axila, a jovem leva a vida com naturalidade.

Antes do diagnóstico, Andreza desconfiava estar com mastite, que é uma inflamação acompanhada de infecção das glândulas mamárias, situação comum em mulheres que amamentam. Conforme ela, nada de ruim passou pela sua cabeça até descoberta da anomalia. “Faz quase quatro anos que estou em tratamento. Como eu tenho dois filhos, eu achei que o meu problema era apenas uma massa. Eu vi que estava crescendo. Fui ao hospital, aqui de Antonina, e me pediram um exame. Aí, o médico disse que, provavelmente, eu estava com câncer de mama”, relatou por telefone.

Tratamento quimioterápico

Após vencer dois cânceres, moradora de Antonina luta contra a doença pela terceira vez 2
Foi preciso arrecadar dinheiro para a compra de remédios (Foto: arquivo pessoal)

Logo após a confirmação dos tumores, a dona de casa passou por 28 sessões de quimioterapia, em que são utilizados medicamentos para destruir as células afetadas. Como o tratamento de três meses não estava dando um resultado efetivo, os médicos precisaram apelar para a Mastectomia, que é quando a paciente precisa fazer a retirada dos seios.

E, o fato de passar a conviver apenas com um dos órgãos, não abalou a paulista de Registro, a qual se considera antoninense. “Falaram que eu teria que fazer uma cirurgia. No dia 24 de julho de 2017, eu passei pelo procedimento. Eu tirei a mama direita todinha e estou com uma só. E isso é de menos, né?!”, disse.

A cura e uma nova descoberta

Meses após a operação, Andreza recebeu a notícia tão aguardada, não apenas por ela, mas também por todos que torciam para o seu bem-estar. A mãe e esposa estava curada. Além dos cabelos, a sua vitalidade também voltou a entrar em cena, depois de lutar contra os diversos efeitos colaterais gerados pelas fortes medicações.

Mas, infelizmente, o que era para ser um alívio, transformou-se em um pesadelo. Em 2019, após sentir fortes dores na região lombar, Neves precisou buscar ajuda médica. Depois de passar por um exame de ressonância magnética, descobriu um novo tumor na coluna. “As minhas pernas travavam. Realizei um outro exame e constataram, mais uma vez, a doença”, afirmou.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Na sequência, passou por mais um processo de tratamento para eliminar as células cancerígenas. Andreza Neves enfrentou mais 28 quimioterapias, até que, também no mesmo ano, derrotou o segundo câncer. Por sorte, segundo ela, os médicos descobriram no início do desenvolvimento.

Terceiro câncer

Vencidas as duas batalhas, a luta da moradora da pequena cidade do litoral, não parou por aí. No início deste ano, o carcinoma (outra denominação dada para um tumor maligno), surgiu nos ossos. Desde o começo da descoberta até o mês de outubro, a jovem encarou 48 procedimentos de radioterapia, uma modalidade realizada por meio de radiações ionizantes.

Atualmente, para dar reforço ao tratamento, Andreza continua com as sessões quimioterápicas feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ela vai uma vez por mês a Curitiba, com o ônibus da Secretária de Saúde de Antonina para as consultas. Para não parar com a medicação de dor no corpo, foi necessária a realização de um bingo beneficente para custear a compra de fármacos não disponibilizados pela unidade básica do município.

Apoio de familiares

Após vencer dois cânceres, moradora de Antonina luta contra a doença pela terceira vez 3
A mulher, de 31 anos, tem dois filhos (Foto: arquivo pessoal)

No dia a dia, além da ajuda dos amigos, familiares têm prestado auxílio à mulher, considerada por muitos conhecidos, como guerreira. O pai de Andreza deixou o Estado de São Paulo para ajudar a filha, em Antonina. A família do marido dela também presta apoio ao casal, principalmente, nas tarefas de casa e cuidado com os filhos.

Mensagem de esperança

“Eu não deixo de viver a vida. Quero ver os meus filhos crescerem. Por tudo o que eu passei, eu já venci. Eu sempre falo para quem tem câncer, para nunca desistir, porque hoje em dia tem cura. Inclusive, eu tenho uma conhecida minha, aqui, que também está com a doença. E ela queria desistir. Eu falei para ela não fazer isso. Se ela foi forte até agora, para que largar tudo, né? concluiu Andreza Neves da Silva.

6 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments