Arte: Cromusazul traz à Casa de Cultura Monsenhor Celso mais de 25 obras de artistas da cidade

É a primeira exposição do grupo em oito anos. Mostra vai até o dia 10 de outubro.

por Redação JB Litoral
20/09/2013 00:00 (Última atualização: 20/09/2013)

NULL

A Casa da Cultura Monsenhor Celso foi palco, na noite de quinta-feira (20), da abertura da XIV Mostra Cromusazul de arte contemporânea, que reúne, após oito anos, mais de 25 obras de treze artistas da cidade. A Mostra, realizada pela Prefeitura de Paranaguá por meio da Fundação Municipal de Cultura, vai até o dia 10 de outubro.

Os trabalhos expostos incluem peças em cerâmica da artista Salete Dalla Rosa, dois quadros intitulados “Policromia”, de Dartagnan Lagos ao lado de duas outras obras chamadas “Gás” de Léo Damião. Marleni Schmidt expôs duas obras com o título “Erosão”.

Já a artista Ofil Vidal levou uma série de quadros, pelo uso de cores variadas em tons fortes e sobrepostos, lembra as peças pelo brasileiro Romero Britto.

Há, ainda, instalações interativas, como um painel com figuras geométricas que podem ser montadas pelos visitantes. A intervenção “chuva”, feita com fitas acetinadas lembra o trajeto de gotas em uma precipitação. Já Margareth Formiga, outra artista integrante do coletivo, expôs uma obra que usa taças e flores espalhadas ao chão.

André Serafim, gestor da Casa da Cultura Monsenhor Celso e um dos artistas do grupo, ressalta que todas as obras são de artistas “da cidade e que tem uma identificação visual muito forte com a história do município”.

A artista Adalmy Garmatter, uma das fundadoras do Cromusazul, conta como começou a experiência, na década de 1990. “Era um período de escassez de arte e queríamos estimular as manifestações na cidade. Foi aí que tudo começou”, explica, ressaltando que o grupo, hoje com treze artistas, começou com apenas quatro.

“Diferente da arte moderna, que representa estruturas conhecidas, a arte contemporânea vem de dentro de você. São obras abertas à interpretação”, continua Garmatter.

Sobre o hiato de oito anos sem exposição das obras, ela relembra. “Minha surpresa foi que, ao ligar para os artistas, todos aceitaram imediatamente participar.”, conta.

Caso hajam interessados, as obras poderão ser adquiridas pelo público após a exposição.

Cromusazul

O nome escolhido para o grupo traz uma curiosidade. Chromis ou, na nomenclatura científica Chromis Virids, é um peixe do Oceano Pacífico de característico azul brilhante. A espécie serviu de inspiração aos artistas, que fizera um adaptação para Cromus (cor) e acrescentaram o “azul”.

XIV Mostra Cromusazul

Local: Casa da Cultura Monsenhor Celso (Largo Monsenhor Celso, Centro Histórico).

Data: 19 de setembro a 10 de outubro.

De seg. a sex., das 13 às 19h.

Entrada Franca.

 

Deixe um comentário