Associação faz trabalho comunitário em Morretes próxima ao “Lixão

Associação dos Amigos Voluntários atua na área da Sesmaria, local carente de ações por parte da Prefeitura e Estado.

por Redação JB Litoral
27/03/2014 00:00 (Última atualização: 27/03/2014)

NULL

Fazer o bem e agir na ausência do Poder Público na sociedade civil de Morretes, esse é o foco da Associação dos Voluntários Amigos (AVA), que criou o “Projeto Morretes” que atua nas comunidades carentes da região da Sesmaria, local próximo ao lixão. O projeto nasceu de uma ideia de dez amigos que residem em Curitiba e desceu a serra, levando para Morretes ações práticas e teóricas com relação à cidadania, meio ambiente, educação e saúde.

Na Sesmaria, região de Morretes, há, segundo a AVA, um índice de vulnerabilidade grande, faltando várias melhorias no local, assim como conscientização ambiental e ações por parte do poder público, integração comunitária, ausência de atividades esportivas, isso em um local próximo ao lixão. A Associação ressalta que os moradores do local pedem algo simples: um local para seus filhos brincarem, desenvolvendo ações positivas e brincadeiras que colaborem com o seu desenvolvimento. Na região não há nenhum local voltado ao lazer dos jovens, algo que é responsabilidade do Estado e Município.

Além do lazer, outro ponto afirmado pela AVA é que apesar da localidade em situação difícil, nenhum deles pediu doações materiais, justamente por não quererem viver dependendo disso, mas sim exigiram que se dê a condição de que eles tenham ofertas de emprego para garantirem o sustento de suas famílias, vendo como forma disso acontecer, por exemplo, oficinas de artesanato.

Uma das fundadoras da AVA, Mara Cardoso, estabeleceu uma análise da área da atuação do projeto, ressaltando principalmente as dificuldades do local, que é conhecido como “Lixão”, pela proximidade da localidade com o aterro de lixo de Morretes. Ainda segundo Mara, a localidade “situa-se na área rural, é desprovida de recursos básicos e essenciais ao desenvolvimento humano. O acesso para a região é por estrada de chão. Não há contraturno ou local público para atividade recreativa das crianças. O acesso a consultas de saúde é disputado com moradores da cidade e nem sempre os moradores da comunidade chegam a tempo para conseguir fichas de consulta. Faltam profissionais de saúde para atender a demanda”, observa.

Um dos focos principais de atuação é estimular melhorias para as crianças da comunidade. A AVA promove estímulo a leitura entre os jovens, através de atividades que estimulem a criatividade, com utilização de atividades lúdicas, desenhos e jogos. Como aprender é também brincar, a Associação promove brincadeiras infantis, como forma de interação social, com o foco nas atividades recreativas mais antigas, fugindo do senso comum digital que muitas vezes promove afastamento entre as crianças.

Há uma preocupação com a série de dificuldades que a “Sesmaria” e seu povo enfrenta, por lacunas que o poder público deixa no local, seja ele a Prefeitura Municipal ou o Governo do Estado, fazendo com que a AVA desenvolva oficinas e palestras nas áreas de cidadania, educação, saúde e meio ambiente. As atividades não param por aí, oficinas de tapeçaria, fuxico, fibra de banana e artesanato permitem com que os moradores até mesmo arranjem meios de sustento, com inserção no mercado de trabalho através de trabalho em equipe, colaborando com o sentimento de fraternidade entre as pessoas e a sua comunidade.

A AVA afirma que o Projeto Morretes atuará em até três anos no local. A Associação não quer se limitar apenas a um local, portanto após esse período se instalará em outra região, fazendo sempre com que as comunidades tenham uma maior capacitação de seus integrantes, se comprometendo com o meio ambiente e a cidadania, promovendo a verdadeira sustentabilidade. Após esse período, caberá ao poder público atuar na localidade, algo que é obrigação.

*Com informações do Projeto Generosidade

Deixe um comentário