Motorista de caminhão deu carona em São José dos Pinhais para mãe de bebê que nasceu após acidente, diz polícia

por Redação JB Litoral
29/07/2018 18:55 (Última atualização: 29/07/2018)

Médico Elton durante o resgate do bebê, na rodovia Régis Bittencourt (Foto: Divulgação/Arteris)

O motorista do caminhão que se envolveu em um acidente na quinta-feira (26) na Rodovia Régis Bittencourt, em Cataji (SP), onde um bebê nasceu mesmo com a morte da mãe, deu carona para a mulher em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, segundo a Polícia Civil.

Ele recebeu alta na sexta-feira (27) e, segundo a família, está em casa. A polícia informou que ele deu uma carona para a grávida em um posto às margens da BR-116, em São José dos Pinhais, cerca de 100 km de distância do local do acidente.

O homem prefere não falar sobre o assunto por estar abalado emocionalmente. Aos médicos que prestaram o atendimento, ele disse que não conhecia a mulher. A empresa em que ele trabalha preferiu não se manifestar.

Motorista de caminhão deu carona em São José dos Pinhais para mãe de bebê que nasceu após acidente, diz polícia 2

Carreta capotou na rodovia Régis Bittencourt, em Cajati (Foto: Divulgação/Arteris)

O corpo dela, que estava sem documentos, aguarda identificação no Instituto Médico-Legal (IML) de Registro (SP). A criança está internada em um hospital do estado vizinho e recebeu das enfermeiras o nome de Giovana – por significar que é protegida por Deus.

De acordo com o médico do resgate Elton Fernando Barbosa, em entrevista neste sábado (28), o bebê está bem de saúde. “Com certeza foi um milagre. Não tem outra explicação. Ela não vai ter nenhuma sequela”, afirma.

No acidente, a carga de madeira do caminhão caiu na rodovia e atingiu a mulher. A principal hipótese, conforme os socorristas, é a de que as pranchas tenham rompido o abdômen da mãe.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A menina nasceu com 3,12 kg e 46 centímetros. Como não há informações da mãe, investigadores da polícia e conselheiros tutelares começaram a procurar familiares e até o pai.

Delegacias de cidades ao sul de São Paulo, e também do Paraná, foram acionadas para prestar apoio às buscas.

Caso não seja encontrado algum familiar, o corpo da mãe será encaminhado ao cemitério para ser enterrado como indigente, e a menina levada até um abrigo municipal para que possa ser adotada.

A polícia e o Conselho Tutelar pedem que quem tiver mais informações sobre a identidade da mãe entre em contato com a Delegacia de Cajati, pelos telefones (13) 3854-1181 ou (13) 3854-1774.

Fonte: G1 – Paraná

Deixe um comentário