CAB e Prefeitura reforçam campanha pelo descarte adequado do óleo de cozinha

Óleo descartado na pia traz prejuízos à rede de esgoto e aos consumidores; campanha evita prejuízos ao meio ambiente e ainda recicla a gordura.

por Redação JB Litoral
19/03/2014 00:00 (Última atualização: 19/03/2014)

NULL

Gordura Não Cabe no Esgoto é o nome da campanha que já reciclou 57.250 litros de óleo de cozinha. Além de dar o destino certo ao resíduo que poderia causar sérios danos ao meio ambiente, a campanha promove o reaproveitamento do material e a economia de dinheiro público parnanguara. Isso porque, desde julho de 2011, quando teve início o projeto, já foram produzidos mais de 38 mil litros de biocombustível para abastecer parte da frota de veículos da prefeitura. A benfeitoria é fruto de uma parceria com a FIEP através do SENAI. Outros 20 mil litros permanecem em estoque para produção de mais energia limpa.

De acordo com o responsável técnico do programa municipal de gerenciamento de óleos e gorduras residuais, João Roberto Barros Maceno Silva, a maior contribuição vem das empresas, mas as pessoas também podem e devem colaborar separando o óleo usado. “Embora a campanha dê um destino eficiente à gordura residual, a principal intenção não é produzir biodiesel, mas sim evitar, por meio da coleta seletiva, que o óleo de cozinha caia na rede pluvial e acabe contaminando o lençol freático”, alerta o biólogo. “Quem preferir usar o material para produção de sabão caseiro tem liberdade para isso. O importante é descartar de forma correta”.

O projeto é de iniciativa da CAB Águas de Paranaguá em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos (SEMMAS). A CAB faz o recolhimento da substância em bares e restaurantes três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas-feiras, e entrega na usina de biocombustível do município, que alimenta a frota da prefeitura.

Consciência cidadã

Descartar gordura na rede de esgoto traz graves prejuízos ao meio ambiente e à qualidade de vida do cidadão. Afinal, o óleo de cozinha é uma substância insolúvel em água e, quando descartado nas tubulações, transforma-se em uma massa sólida, com aparência de pedra, que obstrui o encanamento, gera entupimento e odor nas residências.

A tentativa de eliminar o bloco de gordura aplicando soda cáustica só piora a situação porque a mistura produz sabão. Os problemas decorrentes dessa prática são inúmeros. O morador passa a conviver com o mau cheiro gerado pelo retorno dos resíduos no encanamento que não flui, o entupimento gera custos e atrai ratos e baratas.

Além de evitar os danos à rede de esgoto no processo de tratamento e ao meio ambiente, a coleta adequada do óleo descartado é uma solução inteligente, que aproveita a gordura para necessidades práticas, como a produção de sabão e detergente caseiro. E o melhor: o processo pode ser feito em casa, gerando ainda mais economia a renda familiar.

Dica valiosa

Para as famílias que preferem descartar o óleo e contribuir com a campanha, o ideal é que separem o produto frio e armazenem em uma garrafa PET. Depois, é preciso entregar o volume em um ponto de coleta, que dará o destino adequado para o reaproveitamento da gordura.  Além disso, é essencial manter a manutenção da caixa de gordura em dia.

Pontos de coleta: Igreja Cruzada; A Bombone; Mercado Municipal; Disk Tony; Frangalhos; Divina Gula; Rest. Central; Rest. Guloso; Rest. Betel; Rest. Time; Rest. Estiva; Cravo e Canela; Mercado do Café; Yuki Gril; Sorvegel; Hospital Regional; Herus Lanches; Corpo de Bombeiros; La Barca; Orla`s; Rest. La Favore; Rest. Sereia; Rest. Bom Gosto; Cohab; Lanches Ivanilde; Rest. Sr. Mitas; SEMMA; Posto Bortoli; Stefania Cel. Santa Rita.

Informações: 3420-2953 (SEMMAS- setor coletas seletivas).

Deixe um comentário