Caçambas da Copadubo fazem filas duplas e bloqueiam Estrada Velha de Alexandra

por Redação JB Litoral
08/07/2020 01:03 (Última atualização: 4 semanas atrás)

Empresários e motoristas reclamam de caçambas que fecham a rua

Em dois dias de movimentação de mercadorias, os motoristas que precisaram transitar pela Estrada de Alexandra, ficaram por horas impossibilitados de trafegar na altura da Cooperativa Nacional Agroindustrial (Coonagro) e do Armazéns Gerais Tropical Ltda, pelo bloqueio da via pública por caçambas da Copadubo Transporte e Logística S/A.

Muitos deles se depararam com a via completamente interditada por uma fila dupla de veículos pesados, que deixaram a passagem bloqueada. Carretas de outras cidades estacionadas em ambos os lados da pista e, as caçambas, fecharam a rua parando ao lado dos veículos estacionados, gerando as filas duplas e triplas.

De acordo com o empresário Nelson Rodrigues Vidal, da Tropical, que possui uma empresa no local, o problema se deve ao fato das companhias da vizinhança, receberem os veículos, formarem longas filas de espera e as caçambas acabarem estacionando no meio da rua. “Existem outras empresas na região e conseguimos nos organizar para não bloquear a rua e poder dar acesso a todos. Porém, a Copadubo é a única empresa que não respeita a ordem no local”, declarou Nelson Rodrigues Vidal.

Um vídeo feito pelo empresário, mostrou a insatisfação dos caminhoneiros que transitam pelo local. A aglomeração dos veículos acontece pela manhã e segue até o início da tarde, gerando transtornos para motoristas se deslocarem até seu destino final. Inclusive os que chegam de outras cidades, alguns até de outros estados, e acabam presos num labirinto por horas. “Isto está virado numa bagunça”, desabafou um dos profissionais. Já outro, manteve o bom humor: “Não é mais fila dupla, e sim tripla”.

FISCALIZAÇÃO

O empresário disse à reportagem do JB Litoral que não há fiscalização na localidade por parte da Prefeitura de Paranaguá e que várias denúncias já foram realizadas. A redação entrou em contato via e-mail com a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) para ouvir o posicionamento do departamento de trânsito do município, mas nenhum retorno foi enviado.

A reportagem procurou a Copadubo Transportes para se manifestar sobre o assunto, mas também não recebeu resposta.