Caixa vai suspender pagamento de prestações atrasadas no crédito imobiliário. Entenda

Quem tiver duas parcelas atrasadas poderá renegociar contrato. Novos compradores terão seis meses de carência

por Redação JB Litoral
14/05/2020 11:01 (Última atualização: 14/05/2020)

(Foto: Maisy Pires/JB Litoral)

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira que os mutuários inadimplentes, com até duas prestações atrasadas, poderão renegociar os contratos, suspender o pagamento das prestações por seis meses ou fazer o pagamento parcial das parcelas.

A medida integra o pacote de R$ 43 bilhões do governo para estimular a construção civil.

Coronavírus:  Crédito emergencial, corte de jornada e salário, veja medidas anunciadas para microempresas

Novos compradores de imóveis também vão ganhar prazo de seis meses para começar a pagar as prestações. As medidas entram em vigor na segunda-feira.

Veja abaixo os principais pontos do pacote

Qual é o valor do pacote  habitacional da Caixa?

As medidas somam R$ 43 bilhões para estimular o setor da construção civil durante a crise.

Como as medidas beneficiam empresas de construção civil?

Para dar incentivar a construção de imóveis,  a Caixa antecipará até 20% do financiamento de empreendimentos que ainda vão ser iniciados. Também vai antecipar recursos correspondentes a até três meses, limitado a 10% do custo financiado, para obras em andamento e sem atrasos no cronograma.

Viu isso?  Auxílio emergencial contra crise deixa de fora 21 milhões de trabalhadores

Sou um mutuário da Caixa. A medida me beneficia?

Sim, ela dá mais alívio no orçamento para os mutuários da casa própria e beneficia 5,5 mil famílias com pagamentos em dia e prestações em atraso.

Estou devendo prestações do meu financiamento habitacional. Terei algum alívio na crise?

Os mutuários inadimplentes, com até duas prestações atrasadas, poderão renegociar os contratos,  suspender o pagamento das prestações por seis meses ou fazer o pagamento parcial. A Caixa já tinha anunciado pausa nas dívidas parceladas por 90 dias para todos os clientes, inclusive no crédito imobiliário, mas ainda não tinha incluído nas medidas as pessoas que estão com dificuldades para pagar as parcelas.

O que eu preciso fazer neste caso?

A Caixa vai entrar em contato com as pessoas que devendo até duas prestações para renegociar o contrato, mas elas também podem se antecipar e acessar os canais digitais do banco ou por telefone.

Coronavírus:veja como suspender o pagamento do financiamento imobiliário

Para dar uma pausa nos pagamentos é preciso entrar em contato com a Caixa?

Sim. A Caixa recomenda recomenda a utilização dos canais digitais, como Internet Banking e App Habitação CAIXA, além dos telefones 3004-1105 e 0800 726 0505, opção 7, ou através do número 0800 726 8068 para renegociação do seu contrato.

Eu utilizo recursos do FGTS para abater no valor da prestação do imóvel. Posso suspender o pagamento da prestação?

Pode. Neste caso,  os recursos do FGTS continuarão sendo utilizados no pagamento parcial da prestação. Fica suspensa só a parte do cliente.

As medidas valem para todos os tipos de contratos?

Sim. Com recursos do FGTS nos contratos do programa Minha Casa Minha Vida e da poupança.

Samuel Pessôa:  ‘Precisa de crédito barato para a economia funcionar’, diz economista

A medida vale também para as pessoas físicas que estão construindo a casa?


Para os clientes que constroem com financiamento do banco será permitida a liberação antecipada de até duas parcelas, sem a vistoria física.



E para novos contratos? O que ela propõe?


A Caixa vai incentivar as pessoas tomarem crédito imobiliário. Os novos compradores ganharão prazo de seis meses para começar a pagar as prestações.

A partir de quando elas entram em vigor?

As medidas entram em vigor na segunda-feira.

Aplicativo da Caixa: Governo já pagou auxílio de R$ 600 a mais de 2,5 milhões de informais. Confira o cronograma

A medida tem alguma contrapartida do setor privado?
Representantes do setor produtivo se comprometeram a manter os empregos nos próximos 60 dias, mas podem estender o prazo porque as  medidas da Caixa terão validade por 90 dias no mínimo.  

Qual será a consequência prática das medidas?

Ao equilibrar o fluxo de caixa dos compradores e das incorporadoras, a iniciativa evitará a paralisação de  530 mil obras em andamento e manterá  2,4 milhões de empregos diretos e indiretos, segundo o governo.

Fonte: COHAPAR