Caranguejo está liberado, mas festas tradicionais não serão realizadas

por Maisy Pires
01/12/2020 15:47 (Última atualização: 02/12/2020)

Marilda Alves comercializa o crustáceo há 20 anos (Foto: JB Litoral)

Com a vigência dos prazos da Portaria nº180/2002 do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que regulamenta a captura do caranguejo-uçá no Estado, foi liberada hoje (1º) a comercialização do crustáceo mais saboreado em todo o litoral do Paraná.

Porém, devido a pandemia da Covid-19, as tradicionais festas do Caranguejo de Paranaguá e do balneário Shangri-lá, em Pontal do Paraná, foram canceladas.

Paranaguá

De acordo com o engenheiro de pesca da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (SEMAP) de Paranaguá, Alan Muller Mendonça Xavier, a primeira edição da festa foi em 2017. “A festividade começou em 2017, quando foi inaugurada a escultura do caranguejo. Foi promovida nos anos de 2017 até 2019. O evento era organizado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secultur) com apoio da SEMAP na Praça de Eventos Prefeito Mário Roque. Eram 5 dias de festa, começava na quarta-feira e se estendia até domingo a noite.”, contou.

Ele explicou que os restaurantes que comercializavam o caranguejo no local eram administrados por pescadores das comunidades da baía de Paranaguá. Além disso, existia um espaço para venda do caranguejo vivo, onde havia, mais ou menos, 15 pescadores cadastrados como permissionários para trabalhar.

Segundo Alan, eram consumidas, em média, 200 dúzias por dia nos restaurantes e vendidas 80 dúzias de caranguejo vivo. “Em média, foram 1.400 dúzias para cada ano da festa, entre produto vendido nos restaurantes e vivo, totalizando em torno de 4.200 dúzias nos 3 anos de festa”.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Caranguejo está liberado, mas festas tradicionais não serão realizadas 2
(Foto: reprodução)

Questionado sobre o impacto financeiro que o cancelamento do evento causará no município, o engenheiro disse que a atual situação afeta diretamente o pescador artesanal. “Quantificar em valores reais o que a festa movimenta seria difícil, pois existe toda uma economia girando em torno da festa. Afetaria diretamente o pescador artesanal, que trabalha com a comercialização nos restaurantes, o pescador que captura o caranguejo no mangue, o vendedor ambulante, os hotéis, pousadas, etc. Mas quem sente mesmo na pele é o pescador artesanal que fica o ano todo esperando estas festividades como a Festa do Caranguejo, Tainha, enfim, para ganhar uma renda extra que auxiliaria no seu sustento e até uma manutenção dos seus equipamentos de pesca”, completou.

Shangri-lá

Caranguejo está liberado, mas festas tradicionais não serão realizadas 3
(Foto: reprodução)

A mesma situação ocorre em Pontal do Paraná. O secretário da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Jaime Cousseau, disse ao JB Litoral que seria difícil controlar a aglomeração de pessoas. “Por mais que tentássemos seguir todas as recomendações da Secretaria de Saúde, como o distanciamento das mesas, uso do álcool gel […], não teria como controlarmos a aglomeração, pois é uma festa aberta”, explicou.

O festival acontece em Shangri-lá há 18 anos, sendo uma das mais tradicionais no litoral do Paraná. Em uma das edições, durante os 10 dias de festa o evento chegou a reunir 30 mil pessoas. “Nós recebemos turistas de vários lugares, principalmente de Curitiba. Infelizmente, o cancelamento do festival impactará negativamente na economia do município e, com certeza, na dos comerciantes que trabalhavam nos dias das festas”.

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments