Com forte tradição em pesquisa, Centro de Estudos do Mar oferece 200 vagas em cinco cursos de graduação

por Redação JB Litoral
29/08/2017 17:06 (Última atualização: 29/08/2017)

O Centro de Estudos do Mar (CEM) da UFPR tem forte tradição em pesquisa nas Ciências do Mar, com projetos de abrangência nacional e internacional. Criado em 2000, o curso de Oceanografia é o mais antigo da unidade. Porém, nos últimos anos, houve significativa expansão e novas formações foram incorporadas ao campus. A partir de 2014 a Licenciatura em Ciências Exatas passou a ser ofertada e, em 2015, três cursos de engenharia complementaram a grade.

Foi nesta época que tiveram início os cursos de Engenharia Civil – com ênfase em Engenharia Costeira – e de Engenharia Ambiental e Sanitária, e que o Tecnólogo em Aquicultura – disponível desde 2009 – foi transformado em Engenharia de Aquicultura. Segundo o diretor do CEM, Mauricio Noernberg, com a criação dessas novas graduações, o campus passou a ter uma importante inserção regional, ampliando substancialmente as atividades de extensão no ambiente litorâneo.

Vinculado ao Setor de Ciências da Terra, o CEM oferece, atualmente, cinco cursos de graduação e está sediado na cidade de Pontal do Paraná, litoral paranaense. Apesar de criado para promover a educação de excelência na área das Ciências do Mar por meio do ensino, pesquisa e extensão, o CEM também disponibiliza cursos em outras áreas. A expectativa é que 700 a 800 pessoas se inscrevam no vestibular de 2018 para concorrer a uma das 160 vagas que serão disponibilizadas, entre todos os cursos.

Com 35 anos de existência, o ponto forte do CEM é a pesquisa – motivo pelo qual foi inicialmente criado. A unidade tem como principais financiadores de projetos a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Programa de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas (RHAE), a Petrobrás, o Ministério da Ciência e Tecnologia e o Conselho de Ciência e Tecnologia do Paraná (CONCITEC).

Após formados, os alunos têm a opção de se especializar no curso de pós-graduação em sistemas costeiros e oceânicos (PG-SISCO), que possui o conceito 4 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A cidade

Localizada na região metropolitana de Paranaguá, Pontal do Paraná fica a cerca de 100 quilômetros de Curitiba e tem fácil acesso à Baía de Paranaguá e à Ilha do Mel. Segundo o levantamento de 2016 do IBGE, o município tem, aproximadamente, 25 mil habitantes e sua economia baseia-se em atividades relacionadas ao turismo – maior aspecto gerador de emprego para a população local. Há, ainda, um complexo portuário, situado em Pontal do Sul, que deve ter suas obras de implantação finalizadas ainda em 2017.

Estrutura do Campus

O Centro de Estudos do Mar possui duas unidades, a principal está localizada no Balneário de Pontal do sul – região central da cidade –, à beira-mar. Há ainda uma unidade no Balneário de Mirassol que concentra laboratórios e salas de aula para os cursos de Aquicultura e Ciências Exatas.

O campus tem, ainda, um galpão às margens da Gamboa Perequê com embarcações de médio e pequeno porte. Há um Restaurante Universitário para cada unidade que funciona sete dias por semana e oferece café da manhã, almoço e jantar. A biblioteca local tem um acervo especializado em Ciências Marinhas, Ciências Exatas e Engenharias.

Cursos

Oceanografia

 A graduação abriu sua primeira turma em 2000, com o nome de Ciências do Mar. Com duração de cinco anos, o curso é realizado em período integral (manhã e tarde) e oferece 32 vagas.

A Oceanografia é uma ciência multidisciplinar com enfoque no ambiente marinho. O curso é voltado à pesquisa e ao gerenciamento dos recursos marinhos. A atividade pesqueira e as formas de interação do homem com a natureza também são objetos de estudo da graduação. Assim, o objetivo é formar profissionais capacitados para a análise da estrutura e dinâmica de sistemas costeiros e oceânicos, bem como para o gerenciamento das atividades humanas em regiões costeiras.

Mercado Profissional: O profissional de Oceanografia poderá atuar na docência e em áreas específicas, como a pesquisa oceanográfica, gestão de ambientes costeiros, consultoria ambiental, pesca e maricultura. Tanto as empresas privadas como as estatais cada vez mais necessitam de profissionais com formação multidisciplinar como esta. Além disso, o profissional pode atuar com o planejamento, o monitoramento e a gestão ambiental, seja na função de gestor ou de analista.

Licenciatura em Ciências Exatas

A oferta do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas – à disposição desde 2014 – parte do princípio de que a formação de professores de Matemática, Química e Física para a educação básica, além de necessária para uma educação de qualidade, representa fator estratégico para o desenvolvimento do País. Com duração de quatro anos, o curso é realizado em período noturno e oferece 40 vagas.

O curso visa preparar o docente para o exercício do magistério e a formação de um futuro pesquisador em educação, no campo das ciências exatas. Os alunos receberão formação integral e fortemente interdisciplinar em torno das ciências exatas, o que amplia as possibilidades de atuação do futuro professor. Durante os dois primeiros anos, o aluno cumpre um núcleo básico com conteúdos científicos e pedagógicos. No terceiro ano, é feita a opção pelas habilitações de Física, Matemática ou Química. A partir daí disciplinas específicas são oferecidas, mantendo-se o caráter interdisciplinar do curso, culminando com os Estágios de Docência, no qual o aluno tem a oportunidade de articular o conhecimento adquirido com a prática docente nos ambientes formais e não formais. É possível a permanência no curso após o término de uma habilitação para concluir outra dentro do prazo de integralização curricular.

Mercado Profissional: O formado estará habilitado a lecionar Física ou Matemática ou Química para o ensino básico. Ao egresso do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas será conferido o diploma de Licenciado em Ciências Exatas com a respectiva habilitação escolhida.

Engenharia Civil 

O curso de Engenharia Civil busca formar um especialista capacitado para atuar nas principais áreas de concentração da profissão, as obras de engenharia civil, com capacitação em pesquisa e análise de problemas específicos da profissão. No Centro de Estudos do Mar, além da forte formação tradicional, os futuros engenheiros terão formação complementar com ênfase em engenharia costeira, voltada à atuação nos ambientes costeiros e estuarinos. Com duração de cinco anos, o curso é realizado em período vespertino e oferece 32 vagas.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A formação busca proporcionar aos alunos conhecimentos técnicos-científicos que incluem a abordagem de temas da engenharia civil tradicional e os que se relacionam à engenharia costeira, ou seja, aos problemas que envolvem as interações obra-costa/mar-obra: como uma obra pode afetar o ambiente costeiro e, por outro lado, como as ações do mar podem influenciar o comportamento das obras.

Mercado Profissional: O mercado de trabalho do Engenheiro Civil está ligado a diversos ramos de atividades, é crescente e diversificado. Inclui administrações públicas e empresas privadas, voltado a um mercado de trabalho de alta especialização, tecnologia avançada e dinâmica de inovação e mudanças permanentes. Há, ainda, um crescente mercado privado de Engenharia Civil costeira, no que se refere a planejamento e execução de obras costeiras, relacionadas ao desenvolvimento social e econômico, para proteção social e ambiental.

Engenharia de Aquicultura

 A aquicultura desempenha um papel econômico e social de grande importância, por meio da produção de alimento e geração de emprego, renda, e promoção da igualdade social. A pesca extrativista tem se apresentado estabilizada, por ter atingido, talvez, seu limite máximo sustentável, tornando a produção de alimento proveniente da Aquicultura cada vez mais significativa. Com duração de 4 anos, o curso é realizado em turno matutino e oferece 24 vagas.

Aquicultura é o processo de produção em cativeiro de organismos aquáticos, como: peixes, camarões e moluscos. O profissional de aquicultura pode atuar em atividades que envolvam desde a produção de juvenis, engorda, processamento do pescado, até a comercialização e distribuição dos produtos para o mercado consumidor. O cultivo de peixes, camarões e moluscos para a produção de alimento, o cultivo de peixes ornamentais, o trabalho na indústria de pescado e a participação em projetos socioambientais são algumas das possibilidades deste profissional.

Mercado Profissional: A aquicultura é uma das atividades que mais tem crescido no mundo todo nos últimos anos, desempenhando um importante papel social e econômico, gerando empregos e renda, produzindo alimento de alta qualidade, de forma sustentável e oferecendo uma alternativa às formas tradicionais de produção de pescado. No Brasil, o potencial de crescimento da aquicultura é imenso, em função de seu vasto litoral, clima favorável, diversidade de espécies e grande volume de águas interiores. Entretanto, o número de profissionais especializados nesta área ainda é pequeno.

Engenharia Ambiental e Sanitária

O curso forma profissionais na interface dos cursos de Engenharia Civil, Engenharia Hídrica, Engenharia Sanitária e Ciências Ambientais. Estuda os problemas ambientais de forma integrada nas suas dimensões ecológica, social, econômica e tecnológica, com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável. Com duração de cinco anos, o curso é realizado em turno vespertino e oferece 32 vagas.

O curso na UFPR busca a formação de profissionais sintonizados com a avaliação, planejamento, prevenção e controle das atividades exercem interferência no meio ambiente. O engenheiro ambiental sanitarista será um profissional qualificado para o desempenho de atividades ligadas ao desenvolvimento regional, que incluem a execução de estudos de impacto ambiental e propostas de soluções que visam ao aproveitamento racional dos recursos naturais. Cabe ao profissional, por exemplo, a elaboração e execução de planos, programas e projetos de gerenciamento dos recursos hídricos, recuperação de áreas degradadas, estudos de caracterização voltados ao controle de poluição e saneamento, fontes de energia e potencial energético, de impactos ambientais etc.

Mercado Profissional: O campo de trabalho do Engenheiro Ambiental e Sanitarista e Agrimensor está em franca expansão. O profissional pode atuar em empresas públicas, privadas ou como autônomo. O planejamento e projetos de saneamento, coleta, tratamento e disposição final de resíduos líquidos, sólidos e gasosos, além das atividades de avaliação, planejamento, controle e prevenção das atividades antrópicas que interferem no solo, na água e no ar, são áreas de trabalho desse profissional.

 

Fonte: Superintendência de Comunicação Social

 

 

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments