PUBLICIDADE

Começa amanhã (03) mais uma etapa da distribuição do kit alimentação escolar em Pontal do Paraná

por Luiza Rampelotti
02/06/2020 18:34 (Última atualização: 02/06/2020)

Foto ilustrativa/Reprodução/Internet

Desde 23 de março, o Município de Pontal do Paraná instituiu o decreto nº 8585, que prevê a distribuição do “kit alimentação escolar” enquanto durar a suspensão das aulas na rede municipal de ensino, devido à pandemia do coronavírus (Covid-19).

A partir desta quarta-feira (03), a secretaria municipal de Educação inicia uma nova etapa da entrega dos kits, das 10h ao meio dia e das 13h às 17h. Os pais ou responsáveis pelos alunos, que estiverem matriculados na rede municipal e estiverem cadastrados no Cadastro Único do Governo Federal ou, comprovadamente, pertençam a família cuja renda seja inferior a dois salários mínimos podem retirar a alimentação nos seguintes endereços:

Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Francisco Antonio Vieira, no Guaraguaçu; CMEI Golfinho Azul, no Balneário Praia de Leste; Escola Ilha do Saber, em Praia de Leste; CMEI Peixinho Sapeca, em Praia de Leste; Escola Ezequiel Pinto da Silva Júnior, em Praia de Leste; CMEI Cavalo Marinho, no Bairro Primavera; Escola Municipal Zélia Ceranto Rivatto, no Bairro Primavera; Escola Primavera; no Bairro Primavera; CMEI Ouriço do Mar, em Canoas e na Escola Anita Miro Vernalha, em Ipanema.

Na sexta-feira (05), as entregas continuam, nos mesmos horários (10h ao meio dia e 13h às 17h), nos endereços: CMEI Tartaruga Verde, em Ipanema; CMEI Siri Azul, em Shangri-lá; CMEI Peixinho Dourado, em Shangri-lá; Escola Luiz Antonio Amatuzzi de Pinho, em Shangri-lá; CMEI Guaruça, em Atami; CMEI Felipe Chemure, na Colônia Pereira; Escola Artur Tavares, na Vila Nova; CMEI Estrela do Mar, no Leblon; CMEI Leão Marinho, em Pontal do Sul e Escola Benvinda de Miranda Lopes Correia, em Pontal do Sul.

A distribuição dos kits passou a acontecer após o Ministério Público do Paraná enviar a Recomendação Administrativa nº 03/2020 ao Executivo, para que o Município assegurasse as condições de subsistência a todos os alunos matriculados nas instituições municipais e que se encontram em maior situação de vulnerabilidade.