Confirmação de coronavírus em tripulante gera dispensa dos “TPAs” no navio Clymene

por Redação JB Litoral
26/05/2020 12:47 (Última atualização: 26/05/2020)

Trabalhadores portuários avulsos foram dispensados antes de embarcar no navio. Foto: Portos do Paraná

Menos de uma hora, do segundo período de trabalho na faixa portuária, das 19 às 24 horas, todas as equipes de Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs), que estariam a bordo do navio MV Clymene, foram dispensados, depois que um tripulante filipino foi internado com suspeita de Covid-19, no porto de Paranaguá.

O embarque de soja havia convocado uma equipe de 11 avulsos, divididos entre 10 estivadores e um vigia portuário, entretanto, logo na entrada do portão 5, que dá acesso à faixa portuária, os trabalhadores eram abordados por técnicos de segurança e saúde do Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), comunicando a dispensa.

Nesta terça-feira (26) a empresa pública, Portos do Paraná, confirmou a informação e esclareceu que o tripulante está internado no Hospital de Paranaguá com suspeita de COVID-19.

Segundo a direção portuária, o navio embarcava soja no berço 214, quando o comandante relatou a situação para o agente marítimo. O tripulante foi encaminhado até o hospital, onde foi realizado o teste rápido que identifica o coronavírus.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Após o primeiro resultado positivo, mesmo na espera de contraprova, a operação foi paralisada, os trabalhadores dispensados e a embarcação isolada até novas instruções da ANVISA.

De acordo com a Portos do Paraná, nenhum tripulante de navio vindo do exterior está autorizado a desembarcar nos portos de Paranaguá e Antonina antes do prazo de 14 dias da chegada ao primeiro porto brasileiro.

Este foi o primeiro caso registrado nos portos paranaenses, desde o início da pandemia, em janeiro.