Confusão acaba com homem esfaqueado e outro baleado no Jardim Alvorada

por Redação JB Litoral
06/07/2020 18:26 (Última atualização: 06/07/2020)

Na noite de domingo, 5, uma confusão que teria sido motivada por questões familiares, acabou com um rapaz esfaqueado no Jardim Alvorada, em Paranaguá. Um soldado da Polícia Militar, em horário de folga, ao dar atendimento à situação, acabou atirando no irmão do jovem, que foi para cima dele com uma faca.

Por volta das 20 horas, equipes da Polícia Militar foram acionadas para se deslocar ao local e, segundo o que foi apurado, toda confusão começou porque um dos envolvidos, identificado como Marcelo Santos, de 49 anos, estava sendo acusado de violência doméstica.

A filha da vítima da violência então foi ao local, para buscar objetos da mãe, quando houve uma discussão com Marcelo. Na confusão, o marido da moça, identificado como Paulo César da Silva, de 28 anos, acabou se envolvendo no tumulto junto com o irmão dele, Carlos Felipe de Paulo Teixeira, de 23 anos, que acabou esfaqueado.

A briga foi testemunhada pelo policial militar, que acabou atirando em Paulo César, o qual estaria bastante alterado pelo fato do irmão ter sido esfaqueado, e foi para cima dele com uma faca. Em suas declarações no boletim de ocorrência, o militar contou que ao passar pelo local, viu Marcelo entregando objetos para a solicitante e que, nesse momento chegou Paulo César, e começou a discutir com o homem.

O soldado relata que visualizou Paulo César com uma faca na sua cintura e que, então, Marcelo entrou na casa e se também se municiou com outra faca e continuaram a discutir. Na sequência, Carlos Felipe teria chegado no local e arremessado uma pedra contra Marcelo e os dois acabaram entrando em vias de fato e, durante a briga, o rapaz foi esfaqueado.

Logo após a agressão, Marcelo saiu correndo do local e não foi mais visto. Paulo ainda foi atrás do agressor do irmão, mas não conseguiu alcançá-lo e, ao retornar com a faca na mão e, vendo seu irmão esfaqueado, transtornado com a situação, foi para cima do soldado, o qual se identificou como policial militar e tentou fazer abordagem.

No entanto, Paulo César não teria acatado a ordem e continuou vindo para cima do policial, e, temendo pela sua vida, efetuou um disparo em direção as pernas de Paulo César, que acabou alvejado no tornozelo. Em seguida, o soldado acionou o Samu e ligou para o 190 para registrar a ocorrência.

O policial militar e a solicitante acabaram encaminhados ao plantão da Delegacia Cidadã, para serem ouvidos pelas autoridades policiais, enquanto os feridos foram encaminhados para o Hospital Regional do Litoral. O caso foi registrado como lesão corporal de natureza grave e disparo de arma de fogo.