Covid-19 leva ícone do Carnaval de Paranaguá, Gerson França

por Redação JB Litoral
04/09/2020 15:24 (Última atualização: 06/09/2020)

Covid-19 leva ícone do Carnaval de Paranaguá, Gerson França 2
Gerson abre lacuna na Avenida do Samba, mas deixa um grande legado do Carnal

Com página de ouro escrita a base de muito confete e serpentina na história do Carnaval de Paranaguá, o carnavalesco e ícone da cultura, Gerson França foi vítima do novo coronavírus, a Covid-19, nesta quinta-feira (03).

Dirigente de agremiações que marcaram época na Avenida do Samba, como Pé do Gigante, que, em 1995, surpreendeu e empolgou o público trazendo uma ala de patins, que arrancou muitos aplausos e mudou o ritmo do Carnaval na cidade.

Também esteve a frente do Cartolas de Prata, Acadêmicos do Litoral, entre outras e além da Associação das Escolas de Samba do Litoral (Aesp), Gerson França. Um mestre no comando da alegria, trazendo fantasias, enredos e samba no pé por décadas, a serviço das escolas de samba, bloco e da prefeitura de Paranaguá.

Toda essa experiência, dedicação e amor à Folia de Momo, o carnavalesco esteve à frente do Carnaval na extinta Fundação Municipal de Cultura, por várias gestões, desde a época da presidente Sandra Leal.  

Seu talento e profundo conhecimento também o fez contribuir com o carnaval mais animado e prestigiado do Paraná, o de Antonina, onde se associou ao Grêmio Recreativo Escola de Samba do Batel, uma das mais tradicionais na cidade.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Em sua última passagem na Avenida do Samba, este no carro abre-alas, ao lado da matriarca da escola de Samba Acadêmicos do Litoral, Milene Rosa Gomes, a Dona Milene, em 2017, que faleceu em 2019.

Desde janeiro de 2019, exercia o cargo de Coordenador Operacional na empresa pública, Portos do Paraná.

No ano passado, Gerson dividiu o carro abre-alas da escola de samba Acadêmicos do Litoral com Dona Milene: Produção Edye Fernandes

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments