Crateras geram “vazadas” levando sujeira e marginais para Bento Rocha

por Redação JB Litoral
11/10/2013 00:00 (Última atualização: 11/10/2013)

NULL

As muitas crateras abertas ao longo da concretagem na Avenida Bento Rocha, favorecem a ação de uma quadrilha de marginais, que abre a bica dos caminhões, que despejam o produto ao longo na via pública, as conhecidas “vazadas”, para ser recolhidos e vendidos no mercado paralelo em Paranaguá.

Esta prática que foi extinta, graças a constante ação da Polícia Militar, na região do Beira-rio, onde a ação era realizada logo após a ponte do Rio Emboguaçu, se tornou corriqueira nas noites e madrugadas na região das vilas Becker e Portuária.

Nas duas últimas semanas, diversas vazadas ocorreram na Bento Rocha, com maior intensidade nas proximidades da escola municipal Randolfo Arzua, tornando o trecho num amontoado de sujeira, que mistura fertilizante e produtos de origem vegetal.

Uma investigação feita pelo JB explica a razão dos ataques ocorrerem com mais frequência naquele local. Do trecho após a ponte do Canal do Anhaia até a Rua Getulio Vargas, as crateras no concreto são maiores e os caminhoneiros são obrigados a reduzir a velocidade ao máximo, facilitando a ação dos desocupados. Outro motivo é o fato que, muitos deles, usar o prédio abandonado da Associação da Criança e Adolescente de Paranaguá (Acap), de propriedade da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), como esconderijo dos produtos recolhidos na Bento Rocha.      

No domingo a reportagem do JB percorreu a avenida e registrou a quantidade de sujeira depositada na via pública, diante das casas, comércios, calçadas e ciclovia. A reportagem recebeu ainda fotos da ação dos coletores na madrugada e o perigo que a pista representa para o tráfego de veículos.   

Criada no mês passado, a Comissão Permanente de Assuntos Portuários e Turismo da Câmara de Vereadores, tem o desafio de buscar solução para este drama vivido por moradores, empresas e motoristas, junto a prefeitura e a Appa. Uma reunião foi feita no sentido de buscar a recuperação da Bento Rocha e, hoje, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), estará na cidade para assinar um acordo de cooperação entre a prefeitura e Appa, para realização de obras nas vias de acesso ao porto.

A Appa pretende recuperar o concreto de 10 vias de acesso concretadas no passado, para melhorar o tráfego de veículos. A expectativa é que a Avenida Bento Rocha seja uma delas, por ser o principal acesso ao porto.

Deixe um comentário