Defesa Civil cobra uso da chamada on-line para evitar aglomeração nas empresas de transportes

por Maisy Pires
13/04/2020 17:04 (Última atualização: 13/04/2020)

Caminhões, estacionados de forma irregular, atrapalham o tráfego no entorno da Copadubo

Há quase um mês, muitas atividades foram suspensas em todo o Brasil para evitar a propagação da Covid-19, mas um dos serviços considerados essenciais, o qual emprega milhares de pessoas com forte atuação na movimentação portuária, em Paranaguá, é o transporte de cargas feito por cooperativas e empresas de transporte.

Com o intuito de evitar a aglomeração dos profissionais do volante nas principais cooperativas do município, a prefeitura de Paranaguá, por meio das equipes da Defesa Civil e da Guarda Civil Municipal (GCM) estiveram nos locais orientando os responsáveis a respeito das medidas a serem tomadas neste período, inclusive o uso da chamada on-line. “Nas últimas semanas, a equipe da Defesa Civil e da Guarda Civil Municipal estão atuando em várias frentes para fazer valer as determinações. Nas primeiras visitas realizadas em empresas, sindicatos e cooperativas a orientação aos funcionários e associados foi de que fizessem denúncia pelo 153 ou pelo telefone 3420-6009, caso não houvesse o cumprimento das regras para prevenir o contágio da doença, principalmente o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas, aplicação de álcool em gel, uso da chamada on-line, dentre outras ações”, informou a Defesa Civil.

Defesa Civil cobra uso da chamada on-line para evitar aglomeração nas empresas de transportes 2
Defesa Civil orienta responsáveis sobre as medidas que devem ser tomadas.

Ainda de acordo com a nota, se for verificada irregularidade, a Secretaria Municipal de Urbanismo é acionada para tomar as providências legais cabíveis. “De acordo com informações do secretário municipal de Urbanismo, Cláudio Koiti, pode haver interdição do estabelecimento e, em caso de descumprimento, o local terá vedado seu funcionamento. Não sendo respeitada a determinação, será aberto processo administrativo que pode resultar em cassação do alvará, impedindo assim o funcionamento da empresa. As multas aplicadas nesses casos estão previstas no Código de Posturas do município”, finalizou.

Transcap

O coordenador de Operações da Transportadora de Carreteiros de Paranaguá (Transcap), Leandro Lobo, contou ao JB Litoral que várias medidas foram tomadas para evitar o contágio da Covid-19. “Nós não temos aplicativo, quando necessário entramos em contato com o motorista, e continuamos realizando as chamadas presenciais, mas eles aguardam no nosso pátio, dentro dos caminhões. Além disso, fornecemos todos os equipamentos necessários, como máscaras e álcool em gel. Não há motivos para os funcionários se aglomerarem dentro da empresa”.

Coopanexo

A reportagem esteve na Cooperativa de Transportes de Cargas e Anexos de Paranaguá (Coopanexo), onde constatou a ausência dos trabalhadores no local.

Segundo a gestora financeira, Rosiane Meduna, o motorista só precisa ir até a empresa para dar baixa no serviço prestado. “Os caminhoneiros estão proibidos de permanecer no prédio. Suspendemos as chamadas presenciais, eles podem, e devem, acompanhar tudo pelo aplicativo, só precisam vir até aqui para dar baixa no serviço realizado”.

Rosiane ressalta que houve uma mudança na rotina de todos os funcionários. “Estamos trabalhando por meio de rodízio para evitar uma aglomeração nos setores, além disso, fechamos todos os acessos na área externa. Sabemos que todas estas modificações são necessárias neste momento”, frisou.

Copadubo

Já na Copadubo Transporte e Logística, a reportagem notou que havia alguns motoristas aguardando a chamada no entorno da sede, mesmo com a empresa disponibilizando a chamada on-line. Mesmo assim, o diretor-administrativo, Erick Couto, garantiu que os motoristas acompanham o serviço via aplicativo. “O pessoal acessa o programa e a comunicação é feita por lá. Não tem a necessidade de vir até aqui, alguns continuam vindo por costume, mas eles recebem a notificação on-line”.

Mas, mesmo não havendo a necessidade de permanecer no local, segundo o diretor, há um número excessivo de caminhões estacionados nas vias próximas à cooperativa. De acordo com Erick, são veículos aguardando serviços ou para descarregar nas empresas. “O que acontece é que entre março e abril é um período muito fraco para o transporte de fertilizante interno, então, eles ficam parados aguardando serviços ou para descarregar em outras empresas”, explicou.

No entanto, os cooperados informaram ao JB Litoral que chamadas presenciais estão sendo realizadas normalmente e que o aplicativo apresenta problemas. “As chamadas continuam acontecendo o dia todo e, se a gente não vier, até perdemos serviços. Não tem como acompanharmos pelo aplicativo porque se a gente não vê na hora já chama outro”, contou um motorista que não quis se identificar.

O que diz a prefeitura

A reportagem questionou a Superintendência Municipal de Trânsito (SUMTRAN) a respeito do acúmulo diário de veículos estacionados de forma irregular, em quase toda a extensão da Avenida Governador Manoel Ribas, e se há fiscalização, autuações e notificações.

A prefeitura não respondeu todos os questionamentos e informou, em nota, que “há patrulhamento na região portuária com orientação aos motoristas com frequência e autuação, se houver necessidade”. Porém, “por conta da pandemia do Coronavírus, equipes foram destacadas para outras frentes, devido ao aumento de demanda de fiscalização. Mesmo assim, algumas ações serão realizadas na região portuária para melhorar o fluxo de caminhões e também para coibir aglomeração de caminhoneiros, o que pode contribuir com o contágio da doença na cidade”.

Os questionamentos se existem autuações das muitas infrações cometidas diariamente, quantas ocorreram a partir deste ano e se os motoristas foram notificados, não foram respondidos até o fechamento desta edição.