PUBLICIDADE

Deputado quer linhas de crédito para empresas afetadas pelos efeitos do coronavírus

por Redação JB Litoral
18/03/2020 20:52 (Última atualização: 18/03/2020)

Foto/digulgação

O deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) apresentou um requerimento, aprovado pelo plenário da Assembleia Legislativa do Paraná, solicitando que o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), promova a abertura de linhas de crédito para financiamento de capital de giro às empresas afetadas pela crise econômica causada pela pandemia do Coronavírus (COVID-19), complementar às linhas de investimento existentes.

De acordo com o deputado, a pauta é de extrema necessidade, já que as medidas de contenção ao contágio e disseminação do vírus COVID-19 adotadas no país estão implicando em acentuada queda na atividade econômica, gerando recessão e elevado impacto financeiro ao caixa das empresas.

“A preocupação não se restringe somente com a atividade econômica e com o impacto no caixa das empresas, mas também nas famílias, pois, segundo informações trazidas pelo grupo de entidades do setor produtivo do nosso Estado, as demissões serão inevitáveis diante da dificuldade em custear a folha de pagamento”, exemplificou o parlamentar.

Para o deputado Guerra, a implantação de linhas de crédito para financiamentos de capital de giro é medida de suma importância para o enfrentamento da crise financeira que assolará o Estado neste período, com vistas a conceder um suporte financeiro para manutenção de empregos e renda da população até que a pandemia esteja sob controle dos órgãos de saúde nacionais e estaduais, destacou.

“A nossa principal preocupação ao fazer essa proposta, é evitar demissões dos colaboradores, pois a queda na arrecadação das empresas precisa ser compensada e por isso buscamos uma ação emergencial nesse sentido. Destaco, por exemplo, o setor hoteleiro que está sofrendo as consequências dessa pandemia com cancelamentos de reservas de hospedagem, por conta dos eventos, congressos, seminários, pacote de viagens e toda forma de compromissos que estão sendo transferidos”, avalia Guerra.

Para o deputado, “o empresário é o elo fraco desta corrente. É ele quem organiza os fatores da produção e suporta o risco dos negócios não prosperarem e, em um momento tão delicado como o atual, de recessão econômica, faz-se necessário apoio e sensibilidade dos órgãos públicos que possuem condições de auxiliá-lo na superação das dificuldades financeiras ocasionadas pela pandemia do vírus COVID-19”, afirmou.

Fonte: Diretoria de Comunicação com assessoria parlamentar