PUBLICIDADE

Editorial: Mais 25 anos de porto público

por Redação JB Litoral
11/05/2020 14:27 (Última atualização: 18/05/2020)

Muito oportuna e tranquilizadora, a renovação antecipada do Convênio de Delegação nº 037/2001, que garantiu a manutenção do porto público por mais 25 anos, em Paranaguá e Antonina.

Com um Governo Federal, com toda a característica e intenção para o sistema privatista do serviço de bens públicos, garantir a gestão da delegação até 2051, sob a batuta do Estado, foi o que melhor poderia acontecer no Governo de Ratinho Junior.

Afinal de contas, a condução do investimento das seis áreas que estão aptas a serem licitadas, e já está em processo, passarão pelo crivo da eficiente, séria e jovem direção da Portos do Paraná.  

Os passos para a consolidação de se manter um porto forte, produtivo e recordista, já começou no ano passado, quando o Estado confiou à direção portuária, a autonomia para administrar contratos de exploração das áreas dos portos organizados.

De certa forma, foi uma prova inequívoca da confiança do Governo Federal na atual administração da empresa pública. Afinal, a gestão de arrendamentos de instalações portuárias, que estava sob a tutela da Secretaria Nacional de Portos, agora, as rédeas serão controlados pela Portos do Paraná.

Já no debate entre os candidatos a Governo do Estado, feito pela BAND TV, em agosto de 2018, questionado pelo JB Litoral sobre o critério que adotaria para definir o nome à gestão portuária, visionário e estrategista, Ratinho Junior foi taxativo, “o critério será técnico, independente de ser ou não da cidade”.

A escolha demorou um pouco e não veio em janeiro de 2019, mas a opção por Luiz Fernando Garcia da Silva tem atendido à expectativa do governador, do secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, da comunidade portuária e da população de nossa cidade, até o momento.

A análise de Sandro Alex, desta antecipação, prova o salto de qualidade da gestão portuária desde o ano passado e reforça o compromisso do enorme caminho a ser percorrido. “Fizemos o nosso trabalho que, hoje, é reconhecido, o que muito nos orgulha. Isso nos dá segurança de seguir investindo na nossa infraestrutura e fortalece, ainda mais, a imagem do Estado e dos nossos portos”.

Resta torcer para que os próximos passos continuem seguindo por esse caminho e o porto de Paranaguá mantenha o rótulo histórico de “Pulmão do Paraná”.