Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas

por Redação JB Litoral
30/11/2020 15:42 (Última atualização: 30/11/2020)

Terminais paranaenses se destacam em premiação nacional (Foto: Rodrigo Felix Leal)

Os portos do Paraná colecionam mais uma expressiva marca. Paranaguá e Antonina alcançaram nesta segunda-feira (30) o recorde de 53,382 milhões de toneladas de cargas movimentadas. O volume é o maior da história. O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) participou em Paranaguá da contagem regressiva que consolidou o marco inédito e que foi comemorado com os trabalhadores portuários. A previsão é que apenas o mês de novembro feche com 4.459.487 de toneladas movimentadas.

“Um momento histórico, a maior movimentação em 85 anos do porto de Paranaguá. Quebramos um recorde que já havia sido batido no ano passado, com 53 milhões de toneladas. Mas em 2019, foi no último dia do ano e desta vez foi com um mês de antecedência”, afirmou. Ele ressaltou, também, que o recorde será ainda ampliado, já que falta um mês completo para fechar 2020.

Participaram do evento os prefeitos de Antonina, José Paulo Azim (PSD) e de Paranaguá, Marcelo Roque (Podemos); os prefeitos eleitos de Pontal do Paraná, Rudão Gimenes (MDB) e de Guaraqueçaba, Lilian Ramos Narloch (PSC); os deputados estaduais Gilson de Souza e Nelson Justus; o capitão de Mar e Guerra, Rogério Antunes Machado; o delegado da Receita Federal em Paranaguá, Gerson Faucz; e os diretores do Porto André Pioli (Empresarial), Luiz Teixeira da Silva Júnior (Operações), Marcus Freitas (Jurídico), Luciano Costenaro (Administrativo Financeiro), Rogério Barzelay (Engenharia e Manutenção) e João Paulo Ribeiro Santana (Meio Ambiente).

Conquista significativa

Ratinho Junior destacou que a marca se torna ainda mais significativa em virtude dos percalços que marcaram 2020, especialmente a pandemia causada pelo novo coronavírus. A crise sanitária, reforçou ele, acabou por desencadear uma retenção na economia de todo mundo e, no Paraná, verificada com a diminuição da arrecadação.

“Trabalhamos muito com planejamento para que os portos paranaenses não fechassem um dia sequer por causa da pandemia. Tudo isso garantindo a segurança dos trabalhadores e de quem usa os nossos terminais. Nos tornamos referência para o País”. afirmou o governador.  “Em um ano totalmente difícil, por isso temos muito a comemorar. É fruto de um excelente trabalho de equipe”, disse, enquanto vistoriava o Centro de Controle de Operações, que monitora as atividades portuárias.

  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 2
  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 3
  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 4

Seis recordes no ano

Diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia destacou que a conquista desta segunda-feira é a “cereja do bolo” de um ano bastante especial para os portos paranaenses. Ele lembrou que foram atingidos seis recordes no ano. Os melhores meses de março, abril, maio, setembro e outubro da história em movimentações.

Com 5.716.477 toneladas, maio se tornou também o melhor resultado mensal da história dos Portos. “É um resultado do Paraná, de toda a comunidade portuária. Sempre falamos aqui: o porto tem se ser cada vez mais competitivo e eficiente”, ressaltou Garcia.

“Apesar da pandemia, o ano foi de muito trabalho. As exportações de grãos e alimentos cresceram, com o câmbio favorável, e o tempo seco favoreceu os embarques”, completou. “Além disso a safra foi recorde do Paraná, uma união de fatores que aumenta a nossa responsabilidade em busca de novos recordes”, acrescentou.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Exportação

Cerca de 65% da movimentação dos portos paranaenses, entre janeiro e outubro deste ano foram de produtos de exportação: 38,1 milhões de toneladas de cargas. O volume nesse sentido do comércio exterior é 13% maior que o registrado no mesmo período, em 2019 (28,2 milhões de toneladas). As importações somaram 17,1 milhões de toneladas. Cerca de 4% mais que no ano passado, com 16,4 milhões de toneladas.

Grãos – Mais de 66% das exportações e importações foram de granéis sólidos. Foram quase 32,5 milhões de toneladas de grãos, movimentadas entre de janeiro e outubro de 2020. No ano anterior, foram 29,6 milhões de toneladas (alta de 10%).

  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 5
  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 6
  • Em 11 meses, portos do Paraná batem recorde histórico de cargas 7

Nesse segmento, destaque para o aumento de 78% registrado no volume de açúcar embarcado. Já são 3,67 milhões de toneladas exportadas, ante 2 milhões em 2019. Somente no último mês, foram 566.617 toneladas, mais que o dobro do que o registrado em outubro do ano passado.

Desempenho

Secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex reforçou que os resultados são frutos de uma administração independente, focada em entregar o melhor desempenho e fazer dos portos do Paraná os mais produtivos do País.

“Temos um quadro extremamente técnico que se dedica, diariamente, para manter a excelência nos serviços prestados nos portos de Paranaguá e Antonina. Mesmo com a pandemia, o Paraná não parou e seguiu avançando”, comentou o secretário. “É uma superação de todos, do povo paranaense. Temos sim o porto mais eficiente do País, reflexo da dedicação integral de toda uma equipe”, completou.

Caminhões

Em 2020, de janeiro até o dia 27 de novembro, 422.774 caminhões passaram pelo porto de Paranaguá. O número é aproximadamente 12,7% maior que durante todo o ano de 2019, quando foram pouco mais de 375.899 veículos recebidos. Os caminhoneiros, que não pararam durante a pandemia de Covid-19, são responsáveis por 84% da movimentação de produtos que chegam ou saem pelo porto paranaense.

Fonte: AEN

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments