Em decisão conjunta com pais e professores, prefeito Edison anuncia que escola não vai fechar

Distribuição das turmas será feito em número menor de salas, deixando dependências livres para outros serviços

por Redação JB Litoral
14/11/2014 09:00 (Última atualização: 14/11/2014)

NULL

Em reunião com pais e professores, o prefeito Edison Kersten anunciou, na tarde de quinta-feira (13), que a Escola Municipal Presidente Costa e Silva, no Rocio, não será fechada. O anúncio foi feito ao final de encontro, que ocorreu no Palácio São José, sede da Prefeitura.

Acompanhado da secretária municipal de Educação, professora Hilda Werner, o prefeito salientou que, embora os números demonstrem uma queda de 61% no número de alunos entre 2005 e 2014, a escola permanecerá aberta, atendendo a pedidos da comunidade.“Porém, de comum acordo, ficamos acertados que as atividades escolares serão feitas num número menor de salas, enquanto projetamos o que pode ser feito no restante do prédio”, salientou o prefeito, comentando que arquitetos e engenheiros da Prefeitura irão estudar que tipo de serviço pode ser feito nas demais dependências da escola.

Para receber novos serviços e também para atender aos alunos, o prefeito também anunciou aos pais que a escola passará por reformas, já que a última foi feita há sete anos. Não há prazo para início das obras, que devem começar após avaliação dos técnicos.

O anúncio do não fechamento da escola satisfez aos pais de alunos. “Agradecemos ao prefeito, que entendeu a necessidade dos pais. Tem muita gente ali que tem relação afetiva com a escola. Colaboraremos com o poder público no que for necessário, inclusive, durante o período de obras, aceitaremos deslocar as crianças para outros locais, se for necessário”, disse Adir França, avô de duas alunas da escola.

A secretária de Educação, Hilda Werner, explicou que, em função da diminuição no número de alunos, alguns professores terão de ser remanejados. “Não se justifica, com a queda que os números mostram, mantermos a quantidade de professores existentes hoje na escola. A equipe e a direção terão de entender que precisamos equacionar a oferta e a demanda. Esses profissionais serão remanejados para outras escolas, obedecendo, sempre que possível, a preferência deles”, disse.

O vereador Arnaldo Maranhão, líder do governo na Câmara, acompanhou a reunião. “Tenho uma relação de carinho pela escola porque estudei lá. Parabenizo o prefeito Edison Kersten pela decisão tomada em diálogo com os pais, numa demonstração de um governo transparente e sensível às demandas da população”, salientou.

Estudo
Levantamento feito pela Secretaria Municipal de Educação e Ensino Integral (Semedi), demonstra que, de 2005 a 2014, o número de alunos matriculados na escola foi de 370 para 142, redução de 61%. Atualmente, são 13 salas disponíveis na escola, sendo que nem todas são utilizadas.

Presença
Os vereadores Edu, Ivan e Jacizinho também acompanharam a reunião.

Deixe um comentário