Empresária é vítima de golpe virtual em Paranaguá

por Redação JB Litoral
28/05/2020 18:18 (Última atualização: 28/05/2020)

Foto/divulgação

A empresária parnanguara, Jéssica Ketyscia Fernandes, proprietária do JB Litoral, foi vítima de uma ação criminosa, muito recorrente em diversas cidades no país na terça-feira (26). Sua conta de WhatsApp foi clonada e, a partir desse momento, o aplicativo foi apagado do seu aparelho, assim como todos os contatos da sua agenda.

Depois disso, parentes e amigos próximos passaram a receber mensagens dos criminosos, pedindo que fizessem depósitos bancários e, outros, para que abrissem uma mensagem onde estaria o link da clonagem de suas contas.

O telefone de Fernandes não parou de tocar. Achando estranha a atitude, os conhecidos de Jéssica, imediatamente, passaram a ligar para ela, para confirmar a situação.

“Recebi um link, no WhatsApp, até então de um amigo. Como não desconfiei de nada, cliquei nesse link. Aí o meu celular apagou. Depois de um tempo, passei a ser contatada por amigos e conhecidos, perguntando se realmente era eu quem estava pedindo para depositar certa quantia”, relatou.

Na tentativa de identificar os golpistas, pessoas próximas da empresária fingiram acreditar na situação e conseguiram identificar duas contas bancárias; uma, em nome de Paulo Sérgio da Silva, e a outra, identificada como Andressa Karen da Cruz.

Ao mesmo tempo em que alguns amigos não acreditaram no golpe, outros acabaram caindo na armadilha. Dois deles depositaram um valor de mais de R$ 2 mil.

Vereador também teve a sua conta invadida

Até mesmo o vereador de Paranaguá, Francisco Leudomar Nóbrega dos Santos, foi vítima desse caso. Ele recebeu uma mensagem de texto da quadrilha, a qual pediu para que ele também clicasse no link. Após ter feito o que pediram, achando que seria Jéssica Fernandes, ele teve a sua conta invadida.

O vereador, no dia seguinte ao ocorrido, procurou a 1ª Subdivisão Policial da cidade. O objetivo de Nóbrega era fazer um vídeo, em conjunto com o delegado responsável, de alerta a população e orientação aos prejudicados. “Isso é gravissimo, nao podemos deixar assim, a Policia Civil tem que tomar uma providencia urgente”, destacou o vereador de Paranaguá. Assim como Nóbrega, a empresária já procurou às autoridades competentes, as quais investigam o caso.