Especialista orienta sobre amamentação durante a pandemia

por Redação JB Litoral
21/08/2020 18:31 (Última atualização: 21/08/2020)

A mãe infectada deve tomar medidas com o propósito de reduzir o risco de transmissão do vírus através de gotículas respiratórias durante o contato com a criança

Com a pandemia do novo coronavírus, a Covid-19, muitas mães que estão amamentando têm dúvidas de como lidar com a situação e evitar a transmissão do vírus ao bebê. O infectologista Dr. Ignacio Borges Cuevas explica que o coronavírus não foi detectado no leite materno de nenhuma mãe confirmada ou com suspeita da doença e até o momento não há evidências de que o vírus seja transmitido através da amamentação.

A amamentação e o contato pele a pele reduzem significativamente o risco de morte em recém nascidos e lactentes e proporcionam vantagens imediatas e ao longo da vida para a saúde e o desenvolvimento. A amamentação também reduz o risco de câncer de mama e de ovário na mãe”, ressalta.

Dr. Cuevas destaca que os inúmeros benefícios da amamentação superam substancialmente os riscos potenciais de transmissão e doença associados ao coronavírus.

Alguns cuidados são importantes para minimizar o risco de transmissão. A mãe deve seguir e cumprir as recomendações de higiene e limpeza do ambiente, mãos, seios e equipamentos para retirada do leite (bomba, copos, colheres, entre outros).

Se a Mãe testar positivo para a infecção e estiver assintomática ela deve continuar a amamentação. “A transmissão do vírus Sars-CoV-2 pelo leite materno não foi detectada durante a amamentação. A mãe confirmada, com suspeita ou com contatos domiciliares que apresentem quadro gripal deve implementar medidas de higiene adequadas, incluindo a higienização das mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos e o uso de uma máscara para reduzir a possibilidade de espalhar gotículas que possam contaminar o bebê ou a criança”, detalha Dr. Cuevas.

Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), a amamentação deve ser mantida em caso de infecção pela Covid-19, desde que a mãe deseje amamentar e esteja em condições clínicas adequadas para fazê-lo;

A mãe infectada deve tomar medidas com o propósito de reduzir o risco de transmissão do vírus através de gotículas respiratórias durante o contato com a criança, incluindo a amamentação:

– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora);

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

– Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;

– A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada;

– Seguir rigorosamente as recomendações para limpeza das bombas de extração de leite após cada uso;

– Deve-se considerar a possibilidade de solicitar a ajuda de alguém que esteja saudável para oferecer o leite materno em copinho, xícara ou colher ao bebê;

– É necessário que a pessoa que vá oferecer ao bebê aprenda a fazer isso com a ajuda de um profissional de saúde.

Com informações da Prefeitura de Paranaguá

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments