Sem trabalhar dois meses, empresa recebeu R$ 423 mil pela obra da Estação Ferroviária

Paranaguá, estação ferroviária

por Redação JB Litoral
27/11/2017 23:48 (Última atualização: 20/06/2018)

Sem informação da prefeitura de Paranaguá qual a porcentagem da obra de restauro da Estação Ferroviária já foi concluída e sua previsão de término, a reportagem do JB Litoral, tendo por base a matéria intitulada Restauração da Estação Ferroviária está na etapa do telhado, veiculada dia 18 de outubro no portal público, constatou que, até esta segunda-feira (27), a empresa já recebeu da prefeitura quase 25% do valor total da obra, pelo que já fez desde abril, quando afirmou ter iniciado o trabalho.

Nesta reportagem, Ronald Lofredo Júnior, Coordenador da obra pela Pires Giovanetti Guardia Engenharia e Arquitetura Ltda, empresa responsável pela restauração, confirmou que o trabalho começou com dois meses de atraso.

 

“Iniciamos o trabalho em abril deste ano e explicamos à Prefeitura que não havia condições de fazer em 8 meses. Este tipo de obra é complexo e demorado e é desenvolvido nos detalhes. O objetivo da empresa é finalizar a obra em 2018”, disse Lofredo na matéria.

 

O fato da Secretaria Municipal de Comunicação Social não informar dados como alterações no patrimônio histórico, principalmente no muro do seu entorno e qual a porcentagem de execução da obra até o momento, a reportagem efetuou uma pesquisa no Portal da Transparência do site oficial. A ferramenta “liquidação de empenhos” mostrou que o valor da obra ficou em R$ 1.730.308,00, mas que de janeiro até o momento, a empresa já faturou R$ 423.260,84, através da liquidação de 11 empenhos.

Isto significa que a prefeitura já pagou para Pires Giovanetti Guardia, o equivalente a 24,46% do valor total da obra. Entretanto, após exposição do canteiro de obras nas redes sociais, feitas por um drone, mostrou que, em oito meses, praticamente nada foi realizado. Até mesmo o telhado, ponto onde se concentra o trabalho, não está encerrado e os poucos trabalhadores estão fazendo reparos e não restauro ao longo do muro do prédio.

Sem trabalhar dois meses, empresa recebeu R$ 423 mil pela obra da Estação Ferroviária 2

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Diferença entre restauro e reforma

 

Vale destacar que na edição do JB Litoral que está nas bancas, à reportagem questionou o que a prefeitura entende por restauro, em razão de que o muro, ao longo do prédio, já teve sua característica original alterada. Os blocos de concreto que ligavam uma estrutura a outra do muro foram trocados por barras de ferro em toda a sua extensão. Para agravar esta situação, o pequeno trecho de muro que fica entre a estação e a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo teve mantida a estrutura em ferro que já estava na Estação. Com isto, a empresa executora, além de mudar a originalidade do prédio histórico, atualmente está com dois diferentes tipos de ferragens no muro.

O que é restauro

 

Restauro é uma intervenção feita sobre um bem histórico, visando manter sua identidade, seus aspectos característicos de época e sua autenticidade, para que futuras gerações tenham acesso ao estilo cultural histórico com o máximo possível de sua identidade original. A estética do edifício, por ser histórico, deve se manter idêntica a original, principalmente na fachada, que inclui o muro.

 

O que é reforma

 

Já na reforma, é possível aproveitar as partes do imóvel que mais lhe agradem sem alterá-las e modificar apenas no que mereça um ar mais contemporâneo. Na reforma não é obrigatório que as mudanças sejam reversíveis e nem é necessário se utilizar de técnicas específicas de conservação.

Deixe um comentário