Estacionamento irregular persiste e prefeitura não indica solução

por Redação JB Litoral
27/05/2016 13:20 (Última atualização: 27/05/2016)

Apesar da garantia, por parte do Ex-secretário de Segurança de Paranaguá, Cícero Fernandes, de que o estacionamento irregular do Largo Íria Correa, localizado entre a Catedral Diocesana de Paranaguá e o Colégio Bom Jesus, seria fiscalizado e coibido, o problema continua.

A titularidade da pasta mudou e o ano também, mas a situação é antiga. Cotidianamente carros estacionam no meio da rua, gerando riscos aos motoristas, pedestres e ciclistas. Para intensificar a gravidade da situação, em horários de pico, principalmente no horário de entrada e saída dos estudantes no referido colégio, o trânsito torna-se caótico, já que o volume de veículos aumenta, fazendo com que aqueles que  precisam passar pela região tenham que procurar outras alternativas para acessar outras ruas do centro ou a Rua Júlia da Costa, por exemplo.

Retratado pelo JB em agosto do ano passado, por meio da coluna DQD, o quadro parecia ganhar contornos de solução quando o Ex-secretário de Segurança, Cícero Fernandes, comentou, na época, que providências deveriam ser tomadas para coibir tomadas.

Porém, passados nove meses, a situação persiste e agora a pasta é comandada por Regina Sayuri Nakamori. Na última semana, inclusive, a reportagem esteve no local e constatou que em horários como os das 13h30 e das 17h45, carros que já estão estacionados misturam-se aos veículos de pais de estudandtes e a mobilidade torna-se quase nula. Sem contar no grande fluxo de pedestres (principalmente estudantes) e dos moradores de rua que cobram “pedágio” para cuidar dos veículos estacionados.

Versão da prefeitura não reflete a realidade

Procurada pelo JB, a prefeitura, por meio de sua assessoria de comunicação, comentou, em nota, sobre o estacionamento irregular no local. Questionada sobre a ilegalidade da situação e sobre ações por parte do Departamento Municipal de Trânsito (DEMUTRAN) para coibir a prática, a administração municipal afirmou que “diariamente uma equipe de trânsito fiscaliza e orienta motoristas que usam a via e quando há estacionamento irregular o condutor é autuado”. Porém, durante as muitas passagens da equipe do JB no local, principalmente nos horários de entrada e saída de estudantes, nunca se constatou a presença de nenhum agente de trânsito, e que portanto não respalda esta versão da prefeitura. Até porque os horários que se comprovam a irregularidade são conhecidos do Demutran, desde a gestão do Secretário Cícero Fernandes, que acenou com estudos para solução ao problema e, até mesmo, a instalação do PERTO. O que ainda não aconteceu.

Todavia, sobre a possibilidade de a prefeitura passar a utilizar o cartão PERTO no Largo Íria Correa, a fim de desocupar o centro da via, garantir a rotatividade e melhorar a arrecadação da prefeitura pela cobrança do estacionamento, a nota informou que “no estudo de ampliação do PERTO estão contempladas as ruas Professor Cleto e Conselheiro Sinimbu. Porém, neste primeiro momento, o Largo Íria Correia não será contemplado, tendo em vista as atividades que ocorrem naquele local, como por exemplo, a Feirinha da Catedral”. Argumento que não se solidifica pelo fato da via pública ser interditada durante a realização da feira.

Vale ressaltar, contudo, que a Feirinha da Catedral é realizada apenas aos sábados, no período entre as seis horas da manhã e o meio-dia, ou seja, em momentos em que não há aulas no Colégio Bom Jesus. Além disso, com a presença das barracas dos comerciantes do evento, de qualquer forma, o estacionamento já não se viabiliza no espaço aos sábados, o que torna evasiva a justificativa da administração municipal em não adotar a prática no local.

Deixe um comentário