Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade

por Luiza Rampelotti
28/04/2020 17:59 (Última atualização: 29/04/2020)

Álvaro é presidente da Colônia de Pescadores Z7 há 20 anos

Guaratuba é conhecida por suas belas praias e natureza exuberante, o que faz com que o setor turístico da cidade seja bastante movimentado. Mas, o que muita gente não sabe, é que o município é, também, o maior produtor de bananas do Paraná. Sua agricultura é a principal atividade econômica, seguida pela pesca. Por isso, para celebrar seus 249 anos, comemorado nesta quarta-feira (29), o JB Litoral esteve na cidade para conhecer melhor essas atividades.

A cidade conta com 27 comunidades rurais, que sobrevivem, basicamente, da agricultura e pesca, e estão divididas entre mais de 180 quilômetros de estrada rural. São praticamente 1.200 famílias de produtores, de acordo com o IBGE.

A principal produção é a de banana, cultivada, principalmente, na comunidade do Cubatão. Em 2018, foi mais de 82.5 toneladas (82.500.000 quilos), o que gerou R$ 50.700.375,00 milhões na comercialização da fruta. De acordo com a Engenheira Agrônoma da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca, Maria Wanda de Alencar, a quantidade seria suficiente para abastecer o Paraná inteiro por um ano.

Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade 1
Comunidade do Cubatão é a principal produtora de banana de Guaratuba. Foto: Litorânea
Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade 2
Maria garante que agricultores produzem produtos de qualidade. (Foto: JB Litoral)

Mas não é só banana que é cultivada, outros produtos como mandioca, abobora, abobrinha, pepino, laranja, tangerina, maracujá, leite, leite de búfala, leite de cabra, mel e palmito, entre outros, também têm grande cultivo e comercialização. “Quem mora em Guaratuba tem um desconhecimento da agricultura da cidade, então não sabe que há uma produção alta, de qualidade, com muitos produtos diversos que podem ser adquiridos desses agricultores”, diz Maria.

Orgulho de ser pescador

Outro produto com grande valor para a economia é o pescado, especialmente o camarão, que, em 2018, teve uma captura de 4.410.000 quilos. A quantidade representou mais de R$ 54 milhões (R$ 54.507.600,00) para o município.

Álvaro Cunha é o Presidente da Colônia de Pescadores Z7, que reúne mais de 900 pescadores artesanais. Com 55 anos de idade, vivendo sempre em Guaratuba, veio de uma família de pescadores e seguiu a tradição familiar. Sua mãe, aos 76 anos, ainda é apaixonada pelo mar e continua trabalhando com peixes, por meio de sua peixaria. Os oito filhos de Álvaro também seguiram o caminho do pai.

Na presidência da colônia há 20 anos, ele tem definido seu momento preferido na pescaria: a pesca da tainha. “A partir de junho a tainha vem do Rio Grande do Sul para cá, e todos os anos somos marcados, pois é uma pesca divertida, que nos une”, diz. Segundo ele, os pescadores da baía são muito unidos e é possível ver o prazer que eles têm em sua profissão, em poder tirar o sustento do mar.

Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade 3
Colônia Z7 reúne cerca de 900 pescadores

Álvaro ama ser pescador e estar em contato com a natureza, e é por isso que ele tem certeza que Guaratuba é o melhor lugar para se viver no mundo. “Eu adoro Guaratuba porque o ar é puro, a qualidade de vida é muito melhor que em outras cidades, porque a gente é rodeado pela natureza, os rios, as praias, a Mata Atlântica. É um orgulho viver nessa cidade, quando eu preciso sair, não vejo a hora de voltar para cá”, assume.

Agricultura e pesca

Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade 4
Carlos explica que diversos projetos estão sendo desenvolvidos. (Foto: JB Litoral)

O Diretor de Agricultura da Secretaria de Agricultura e Pesca, Carlos Eduardo Nunes dos Santos, explica que a pasta desenvolve diversos projetos para auxiliar nas atividades dos produtores e pescadores. Atualmente, uma das principais propostas é a respeito da apicultura. “Estamos apoiando a Associação dos Apicultores, que tem a produção de mel. Desde o ano passado, a prefeitura está com um convênio com o objetivo de fortalecer a associação, fornecendo um caminhão para a distribuição e coleta do mel, equipamento para processamento, entre outros”, diz.

Guaratuba 249 anos: agricultura e pesca movimentam a economia da cidade 5
O município também conta com a atividade de apicultura. Foto: Prefeitura de Guaratuba

Outro programa, junto ao Governo do Estado, possibilitou a conquista de R$ 478.467,01 para ser utilizado na construção de um barracão, um espaço de recreação para os jovens e as crianças da comunidade rural e uma cozinha comunitária. A cozinha industrial será usada no beneficiamento de diversos produtos da agricultura-familiar: banana-passa, chips de mandioca, conservas e doce em geral.

Além disto, também está sendo realizado um levantamento na parte de pesca e com o pessoal que cultiva ostra, pois existem várias fazendas de ostra dentro da baía, com a intenção de desenvolver essa produção. O cultivo de ostras existe há décadas, mas nunca desenvolve além do que já tem, então estamos buscando projetos para aumentar a produção”, diz Carlos.

A Secretaria de Agricultura e Pesca também atua junto à Marinha, auxiliando os pescadores na regularização de documentação profissional e das embarcações. Outra frente de trabalho é a regularização de pequenas agroindústrias. “Atuamos em várias frentes, desde o início da produção até a comercialização, buscando desenvolver a agricultura e pesca, gerando renda, qualidade de vida e riqueza para o município”, comenta.