Injeção de ânimo e dinheiro para empresas do seguimento turístico

Municípios do Litoral recebem a Caravana de Crédito Turismo

por Redação JB Litoral
05/12/2020 22:53 (Última atualização: 06/12/2020)

Donos de restaurantes, bares e pousadas, na praia de Encantadas, Ilha do Mel / Divulgação Fomento Paraná

Por Ricardo Vieira

30 milhões de reais. Essa é a quantia que a Fomento Paraná, com o apoio do Ministério do Turismo, quer injetar no turismo paranaense. A Caravana de Crédito Turismo percorreu os municípios do Litoral nas últimas semanas, passando por Matinhos, Pontal do Paraná, Morretes, Ilha do Mel e Paranaguá, onde retorna no dia 10 de dezembro, oferecendo uma linha de crédito especial para empreendedores do setor, que sofrem muito desde o início da pandemia de Covid-19.

O turismo é um dos seguimentos mais afetados em todo o mundo. Dados da Organização Mundial do Turismo mostram que as perdas econômicas vão de 60 a 80%, em relação a 2019. No Brasil, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) indica recuo próximo a 20% do PIB do setor.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no Estado do Paraná foram eliminados 481,3 mil postos formais de trabalho e, entre os seguimentos turísticos, as agências de viagens tiveram retração de 18,5 mil trabalhadores e a rede hoteleira, com quase 80 mil.

O foco da Caravana de Crédito foi apresentar aos empresários a linha Fomento Turismo, que conta com recursos do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), com 30 milhões de reais disponíveis. “Nós entendemos que o momento seria agora, vamos buscar os parceiros e vamos aos municípios, para que o seguimento turístico, bares, restaurantes, pousadas e o ambulante possam se preparar minimamente, com o apoio da  Fomento Paraná, e assim, no auge da temporada de verão, atender bem os nossos turistas”, comenta o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves.

A diferença da linha de crédito da Fomento Paraná e das instituições bancárias convencionais está nos termos de prazos para pagamento, carência de até um ano para começar a pagar e, também, na taxa de juros, hoje a partir de 0,57% ao mês. Podem ser contratadas operações para capital de giro até R$ 500 mil e até R$ 2 milhões para investimento fixo, como obras ou compra de bens e equipamentos. “Essa é uma condição do Ministério do Turismo, que acabou padronizando as condições, tanto para investimento, como para aquisição de bens, para obras, quanto para o capital de giro, o que normalmente é mais caro. O Ministério do Turismo padronizou as taxas de juros entendendo a situação dos negócios diante da pandemia”, explica Neves.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Injeção de ânimo e dinheiro para empresas do seguimento turístico 1
Grupo de analistas da Fomento Paraná, em Pontal

Crédito para MEIs, micro e pequenas empresas

Para contratar a linha Fomento Turismo é necessário que o empreendimento esteja cadastrado no Cadastur. O cadastro é gratuito e pode ser feito pela internet (https://cadastur.turismo.gov.br/). Podem se cadastrar restaurantes, bares, lanchonetes, hotéis, pousadas, campings, centros de eventos, empresas de eventos e animação, parques temáticos, entre outros.

Além da linha Fomento Turismo, a Caravana ofertou a linha de microcrédito, que atente desde empreendedores informais (MEIs) até micro e pequenas empresas, com empréstimos e financiamentos até R$ 10 mil para pessoa física. Para pessoa jurídica, com faturamento até R$ 360 mil ao ano, o financiamento chega a R$ 20 mil reais.

Os recursos do microcrédito podem ser usados para capital de giro, reforço dos estoques, pequenas obras ou compra de máquinas e equipamentos. O prazo para pagamento é de até 36 meses, com três meses de carência para começar a pagar e taxa de juros a partir de 0,76%.

Quem não teve a oportunidade de conhecer as linhas de crédito por intermédio da Caravana, pode ficar despreocupado, elas continuaram disponíveis. “A Caravana é um movimento que vai ocorrer até o inicio do mês de dezembro, as parcerias permanecem. Nós temos parcerias em todos os municípios que compõem o Litoral Paranaense. Além das prefeituras, algumas associações comerciais estão permanentemente à disposição do empreendedor do Litoral”, ressalta o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments