Irmãos se unem no Dias dos Pais em homenagem ao patriarca da família

por Redação JB Litoral
09/08/2020 16:39 (Última atualização: 09/08/2020)

Irmãos encontraram na fé a esperança para superar a crise

Para quem perdeu o pai há pouco tempo, esse domingo (09) destinado a eles seria um dia para se lamentar em muitas famílias, porém não nesta. Nos Pereira da Silva o Dia dos Pais será de união, celebração e mesa farta para lembrar de um ente muito querido que vai deixar saudade: Kosmos Pereira da Silva, 74 anos, paraibano e veio morar em Paranaguá por causa do trabalho. Aqui, ele casou e teve 13 filhos, dos quais nove cresceram fortes e saudáveis.

Ele faleceu no final do mês de julho em decorrência dos problemas de saúde devido ao avanço da idade.  Após poucos dias da sua morte, a família foi abalada por mais uma triste notícia: uma das irmãs, Ester Pereira da Silva, de 42 anos, que estava internada no Hospital Regional do Litoral (HRL), não resistiu às complicações da Covid-19 e também faleceu.

Irmãos se unem no Dias dos Pais em homenagem ao patriarca da família 2
Seu Kosmos, 74 anos, paraibano e veio morar em Paranaguá por causa do trabalho

Com esses dois tristes episódios para lidar, num intervalo de apenas dias entre um e outro, a família não se abateu e decidiu se unir ainda mais, resolvendo superar juntos a dura realidade. Dona Maria Aparecida, de 67 anos, a matriarca da família conta que viveu momentos muitos difíceis, mas que com fé conseguiu ter esperança em dias melhores. “No início todos ficaram muito abalados com tudo, mas resolvemos lembrar das coisas boas que vivemos, do pai amoroso que ele foi e que ainda temos uns aos outros”, declarou.

A partir desse momento, os irmãos começaram a lembrar dos ensinamentos do pai, dos sorrisos e das lições de vida. “Ele sempre disse para sermos íntegros, honestos e verdadeiros. Dizia que a nossa essência tinha que ser a mesma, independente aonde quer a gente esteja”, disse Kelli Pereira da Silva, consultora de recursos humanos.

PAI CARINHOSO

Para os irmãos, viver a recordação de um pai carinhoso nessa data comemorativa é essencial para manter viva a lembrança do patriarca da família. “Tento passar para a minha filha tudo o que eu aprendi com o meu pai. Com ele, sempre podíamos conversar sobre tudo, qualquer assunto, não existia tabu entre nós”, disse Keith Pereira da Silva, técnica em telecomunicação.

Eda Pereira Silva confessou que se sente privilegiada por ter optado pela profissão, que era o sonho de Kosmos. “Ser professora me completa ainda mais por saber que era o desejo dele, afinal ele sempre nos estimulou a estudar, trabalhar e ganhar o nosso próprio sustento. Nunca nos submeteu a uma cultura machista”, contou orgulhosa.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

BOAS RISADAS

Uma passagem da vida do patriarca, que rende boas risadas até hoje entre os familiares, é reviver os momentos em que os pretendentes das filhas iam até a casa pedir para namorar uma delas. De acordo com Ruth Pereira da Silva, não era uma tarefa fácil enfrentar a fera, mas era preciso. “Em todas as vezes ele fazia um longo relatório de perguntas, as mais absurdas possíveis. E uma das imposições dele, era que os rapazes levassem exames médicos para apresentar atestado de boa saúde”, contou.

A irmã mais velha, Éricka Aparecida Pereira Gomes, relembra os bons momentos e afirma que, “o que ele mais apreciava era a família unida, onde ele estivesse, nós tínhamos que estar ao redor dele. E, por isso, tenho certeza que ele sempre está ao nosso redor”.

COM AS PRÓPRIAS MÃOS

Robson Pereira Silva trabalha nas feiras da cidade vendendo pães caseiros, ofício que aprendeu com a mãe no passado, em um momento de grande necessidade que a família passou. “Lembro quando meu pai estava construindo a nossa casa, no bairro da Serraria do Rocha, era o sonho da família. Na época, precisamos abrir mão de muitas coisas para que ela ficasse pronta, eu mesmo ajudei a construir”, contou.

Pensando em como ele era bom em construir coisas, Renan Pereira Filho descreveu a história sobre uma churrasqueira bem diferente. “Meu pai, uma vez, fez uma churrasqueira com tantos compartimentos que ela ficou conhecida entre os amigos como Robocop. Ficou superfamosa em todos os churrascos que fazíamos”, relatou.

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments