Liberação da Graciosa reaquece a economia de Morretes e região

A obra de recuperação da estrada foi concluída em setembro. As equipes contratadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) concluíram 16 pilares, 36 vigas, de 10 metros cada, e lajotas para sustentar a nova travessia da estrada

por Redação JB Litoral
31/10/2014 11:00 (Última atualização: 31/10/2014)

NULL

Os comerciantes e moradores de Morretes dizem que estão satisfeitos com a retomada da economia da região após a conclusão da recuperação da Estrada da Graciosa (PR-410), no Litoral do Estado. Após a liberação do tráfego de veículos, a população local retomou as vendas dos comércios, que foram prejudicadas pela interrupção da rodovia. Parte da estrada desabou por causa das fortes chuvas de março desse ano.

“Ficamos quatro meses sem vender nossos produtos. Mas com a liberação da estrada já retomados 95% da nossa economia”, explica o comerciante e morador de Recanto Engenheiro Lacerda, Sidnei Ferreira de Paula. “Essa estrada é vital para o comércio e sobrevivência de toda a população de Morretes e Antonina”, disse.

Para o comerciante do Recanto Mãe Catira, Amauri Alves de Ponte, a expectativa com a retomada do comércio é que a temporada de verão seja movimentada. “Depois da liberação do tráfego, as pessoas estão voltando a visitar a nossa região. Acreditamos que será um sucesso a movimentação na alta temporada”, afirmou. “O trabalho rápido das equipes do governo estadual também facilitou muito para nós. Agora estamos felizes”.

A dona de casa e comerciante Adelízia Barbosa, que mora há 61 anos em São João da Graciosa, diz que além da retomada das vendas o turismo reaqueceu. “O turismo é a base da economia, assim como nossas vendas. Percebemos que a cada dia mais pessoas vem nos visitar e comprar nossos produtos”, explica. “Nós, e todos daqui, estamos muito satisfeitos com a obra concluída”.

RECUPERAÇÃO – A obra de recuperação da estrada foi concluída em setembro. As equipes contratadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) concluíram 16 pilares, 36 vigas, de 10 metros cada, e lajotas para sustentar a nova travessia da estrada. A meia pista do trecho foi liberada antes da conclusão, para ajudar a população local.

“Liberamos a meia pista no início de julho, para ajudar a população do Litoral e promover o comércio local”, conta o superintendente do DER-PR, Gilberto Loyola. Foram investidos na obra R$ 2,6 milhões e mais R$ 400 mil no projeto.

Loyola alerta que os motoristas que passarem pelo trecho devem ficar atentos às sinalizações dos serviços rotineiros de recuperação da Estrada.

LITORAL – Além da liberação da Estrada da Graciosa, a conclusão do novo viaduto de Morretes também facilitará a chegada dos usuários ao Litoral do Estado. O viaduto Dom Moacyr José Vitti, na BR-277, instalado no trevo de acesso ao município, trouxe mais segurança e agilidade aos motoristas. A obra teve investimento de R$ 15 milhões.

“A obra aumentou a segurança e a rapidez na travessia da rodovia. Percebemos o aumento de turistas e as expectativas para a temporada de verão são as melhores”, afirma o empresário de Morretes, Airton Fernando Augustinho.

“Muitos acidentes aconteciam nesse trecho da rodovia. Por isso, o Governo do Paraná, em negociação com a concessionária, antecipou a construção dessa importante obra, que estava prevista para iniciar somente em 2017”, explicou o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Outra obra que também ajudará o acesso ao Litoral é a duplicação da PR-407, que faz parte de um pacote de obras que o governo estadual está executando em todo o Estado. As obras para duplicar a rodovia, que liga Paranaguá à BR-277, sentido Praia de Leste, está em fase de terraplenagem e implantação de bueiros com tubo de esgoto em concreto, no perímetro urbano de Paranaguá. Nesta primeira etapa, serão duplicados 3,5 quilômetros da rodovia (km 0 ao km 3,5), além de construção de marginais, viadutos, ciclovias, pontes e passarelas.

“O Litoral paranaense se desenvolverá ainda mais com essa grande obra”, finaliza Richa Filho.

Deixe um comentário