Licitação de mais de 190 mil rolos de papel higiênico foi aprovada pela prefeitura

por Redação JB Litoral
02/06/2017 09:12 (Última atualização: 02/06/2017)

No Condor o rolo sai por R$ 1

Em fevereiro de 2015, o JB denunciou compras milionárias de sacos de lixo e papel sulfite em duas licitações que atenderiam as secretarias municipais e resultou no cancelamento de ambas as compras, após a reportagem ganhar as bancas de Paranaguá.

Na época, o Pregão Presencial 02/2015 mostrou que a Prefeitura pretendia gastar mais de R$ 2.778 milhões  na compra de mais de 2.579 rolos de papel higiênico para o período de um ano, o que significava um consumo diário de 9.919 rolos ao dia. A reportagem observou ainda que o teto máximo definido pela Prefeitura, para compra do papel higiênico, é de R$ 1,07 por rolo e um levantamento feito pela reportagem junto aos principais supermercados da cidade mostrou que o preço de varejo, sem levar em conta os valores de atacadistas, variou de 30,8% a 29,4% mais barato. Todavia, este pregão 02/2015 foi revogado, sob alegação de ter ocorrido irregularidade constada no pregão. Na época o Portal da Transparência não informou qual foi a irregularidade ocorrida.

No mesmo ano, o JB constatou que o Pregão 106/2015 pretendia comprar dois tipos de papel higiênico: de oito rolos com 300 metros e de folha dupla com rolo de 30mx10cm. No primeiro seriam comprados 800 rolos por R$ 2.602,00. Por sua vez, no segundo seriam 357.760 mil rolos que custariam aos cofres públicos mais de R$ 357mil Juntos, os dois tipos de papel higiênico somavam 358.560 rolos que custariam R$ 360.306,10.  Isso significaria um consumo diário de 1.440 rolos, ou seja, 180 rolos a cada hora de trabalho na prefeitura.

Por sua vez, a atual gestão do prefeito Marcelo Roque (PV), homologou e está pagando a licitação, fruto do Pregão Eletrônico Nº 093/2015, que definiu a compra de 3013 fardos de papel higiênico para atendimento das necessidades de 13 secretarias municipais.

O valor total estimado da aquisição foi de R$ 131.065,50, porém, a modalidade da licitação foi a de menor preço e não se sabe, de fato, quanto a compra foi fechada.

Trata-se de papel higiênico, folha simples de alta qualidade com rolo de 30 metros, embalados em fardo com 64 rolos, divididos em dois lotes, um de 754 fardos e outro de 2.259.

“Toda essa quantidade significa um consumo de 765 rolos de papel higiênico por dia nas secretarias contempladas”
 

O valor unitário foi fixado em R$ 43,50 por fardo, fazendo que cada rolo custe R$ 1,47, um valor elevado se comparado com o produto vendido no varejo nas grandes redes de supermercado e até mesmo no atacado. Um levantamento feito pela reportagem mostrou que o mesmo produto no Muffato Max Atacadista, no preço de varejo, cada rolo custa R$ 1,08, enquanto que no atacado o produto sai por R$ 1,04. Na rede Condor de Supermercado o valor de varejo é de R$ 1,07, curiosamente o mesmo valor que a prefeito estimou como preço máximo em 2015. Da mesma forma, a diferença entre o valor do preço na licitação, ficou pouco mais de 28% mais caro que a da rede privada de abastecimento que, em 2015, oscilou entre 30,8% a 29,4% mais barato.
 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

“O valor unitário foi fixado em R$ 43,50 por fardo pela Prefeitura, fazendo que cada rolo custe R$ 1,47. No Muffato Max Atacadista, no preço de varejo custa R$ 1,08 e no atacado R$ 1,04. No Condor o valor é de R$ 1,07”

 

Licitação de mais de 190 mil rolos de papel higiênico foi aprovada pela prefeitura 3Preço estimado pela prefeitura ficou em R$1,47

 

13 secretarias, menos Educação

De acordo com o Edital da Licitação, a compra do papel higiênico seria para atender 13 secretarias municipais, cada qual com uma quantidade definida, com a Secretaria de Serviços Urbanos (SEMSU) sendo a que mais receberia, num total de 1000, seguido pela Assistência Social (SEMAS) com 800 e a Saúde (SEMSA) com 600. Na sequência veio SEMAPA com 200, SEMOP com125, SEMFA com 100, SEMSEG com 50, SEMAD com 40, SEMUR com 30, PROGEM com 20, GAPRE com 20, UGP com 12, SEMPLOG com 10 e SEMHAF com 06. A Secretaria de Educação (SEMEDI) não constou no edital. Levando em conta que a compra é para um período de um ano e, considerando que em 2017, terão 252 dias úteis, toda essa quantidade significa um consumo de 765 rolos de papel higiênico por dia nas secretarias contempladas.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments