Obra do Canal da Labra para e moradores vivem drama do esgoto a céu aberto

0
15
NULL

Uma semana antes de começar a Folia de Momo, a obra de implantação do sistema de drenagem das águas pluviais no canal do Labra parou e os moradores residentes na Rua Lucinda Borges começaram viver o drama do forte mau cheiro e proliferação de insetos e animais rasteiros, devido o esgoto que ficou a céu aberto.

É o que contam os moradores do bairro, obrigados a interromper seu itinerário por conta das muitas manilhas que impedem o trânsito de veículos na Rua Lucinda Rodrigues Campos.  

A empresa vencedora da concorrência pública, a BRF Engenharia, que iniciou as obras em novembro do ano passado, tem ainda até mais sete meses para concluí-la, porém já perdeu dois meses com a paralisação dos trabalhos.

Atendendo ao pedido da comunidade, a reportagem do JB esteve no local e constatou o caos que se encontra a via pública onde a obra está sendo realizada. O asfalto foi quebrado e já foram abertas duas enormes galerias, onde o esgoto é visível por quem passa e o forte mau cheiro é sentido em todas as casas num raio de 100 metros do seu entorno.

Enormes manilhas estão despejadas nas calçadas, pista de rolamento e terrenos vazios próximos da obra. Até mesmo ao lado da calçada do vereador Ivan Aparecido Hrescak (PMDB), o Ivan da Fafipar, têm manilhas despejadas. Algumas delas têm sido usadas para impedir o trânsito de veículos leves, outras foram quebradas e até mesmo furtadas, apesar do seu tamanho e peso.

Um flagrante do furto de uma dessas manilhas foi enviado para a redação do JB e mostra a facilidade com que marginais agem em plena luz do dia. Os muitos buracos gerados pelas obras acumularam água e lama e já causaram acidentes com os moradores. O comércio local também sofre com a falta de agilidade e celeridade na obra, pela dificuldade dos clientes terem acesso aos comércios locais. Porém, a maior preocupação dos moradores é com as galerias abertas e o risco de queda das crianças, gestantes e idosos que residem no bairro.

A obra, que está sendo feita com recursos do PAC- Ministério das Cidades, através da Caixa Econômica Federal e contrapartida da prefeitura, é de dois quilômetros com 25.800 metros quadrados de pavimentação. Ela compreende sistema de drenagem de águas pluviais abrangendo os bairros da região sudoeste como Jardim Yamaguchi, parte do Divineia e do Parque São João, dentro da Bacia do Canal da Labra.

Uma situação que chama atenção na obra é a diferença de valores divulgados pelo Governo Federal, através da placa existente no bairro, com a divulgada pela prefeitura, através do site oficial. A placa traz a informação de um custo total da obra de R$ 4.176.479,66, enquanto que a prefeitura informa um custo total de R$ 4.326.608,03, resultando numa diferença significativa de R$ 150.128,37. Nesta semana o JB irá procurar a empresa BRF para saber dos motivos pelo qual a obra se encontra parada.

Comentários e Opiniões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here