Suspeito de furto comete suicídio ao ser cercado pela polícia

0
67

Um homem de 45 anos, suspeito de envolvimentos em furtos em Paranaguá, morreu no final da tarde de sexta-feira, 10, durante uma abordagem policial no bairro Porto Seguro. Michel Luciano Prestes Correa era foragido do sistema prisional no interior de São Paulo e teria cometido suicídio, ao ser cercado por equipes da PM.

Tudo começou por volta das 18 horas, quando policiais militares se deslocaram para averiguar informações sobre um veículo VW Saveiro, cor vermelha, o qual estaria sendo utilizado por suspeitos de praticar arrombamentos de carros na cidade.

Na chegada ao local indicado os policiais encontraram o veículo denunciado, parado em frente uma casa e um suspeito na porta. O homem teria corrido para dentro da residência ao avistar os policiais, que, instantes depois, ouviram um disparo de arma de fogo.

Ao entrarem na moradia, os militares se depararam com o suspeito morto, próximo ao banheiro, alvejado com um tiro na cabeça. O local foi isolado para o trabalho da Polícia Científica e, em seguida, o corpo recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Paranaguá, onde foi feita a identificação oficial da vítima através de familiares.

Durante as diligências na residência, os policiais militares encontraram material de perfumaria, relógios e outros produtos que tinham sido furtados do carro de uma vendedora autônoma. Os produtos foram entregues na 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá, junto com uma arma de fogo, munição, drogas, celulares e uma agenda com anotações apreendida nas diligências.

O veículo Saveiro também foi entregue na delegacia, após ser constatado que estava utilizando placas “frias” e, pela numeração do chassi, foi constatado que se tratava de objeto de roubo. O caso foi registrado como suicídio e está sob investigação da 1.ª SDP.

 

FORAGIDO

Durante a averiguação da polícia, foi constatado que Michel estava no Litoral a pelo menos cinco meses, sendo que inicialmente teria se instalado em Pontal do Paraná. Em Paranaguá, Michel já tinha sido preso em 2009, depois de um assalto contra uma loja de informática. Na ocasião, ele foi encaminhado para a 1.ª SDP, onde teria se envolvido em uma  tentativa de fuga e acabou atingido por um disparo na perna.

Uma irmã teria confirmado a história que já vinha sendo apurada pela polícia, de que Michel sempre falava que não seria preso novamente e por isso cometeu o suicídio.

 

 

 

- Publicidade -