Louis Dreyfus explica que incêndio do caminhão em seu terminal portuário está sendo investigado

por Redação JB Litoral
01/07/2020 21:07 (Última atualização: 02/07/2020)

Incêndio de grande intensidade, ocorrido no Terminal Portuário da multinacional francesa Louis Dreyfus Company (LDC), cujas imagens viralizaram nas redes sociais, passados cinco dias, a empresa se manifestou, mas não soube explicar o que provocou o fogo.

Informações repassadas ao JB Litoral na noite do dia do incidente, informaram que duas carretas que descarregaram no terminal, o qual está localizado ao lado da Companheira Brasileira de Logística (CBL), diante do Terminal de Contêineres Paranaguá (TCP), pegaram fogo na saída da balança.

No momento do incêndio, apurou-se que um possível superaquecimento na balança pode ter ocasionado o fogo. Apesar de as chamas ameaçarem a estrutura pública portuária, atualmente arrendada para a empresa, o grupo que combateu o incêndio disse que não houve maiores prejuízos, a não ser da própria balança.

As imagens mostram que, além do Corpo de Bombeiros, colaboradores da empresa e integrantes da Guarda Portuária ajudaram no combate ao fogo. Entretanto, a LDC confirmou, em nota, que o incêndio teve início na parte interna do próprio caminhão.

Disse, ainda, que o fogo foi controlado em cerca de meia hora com o auxílio da brigada de emergência da própria companhia, do Corpo de Bombeiros e das empresas do Plano de Apoio Mútuo (PAM).

A empresa garantiu que nenhuma pessoa foi ferida e não houve prejuízos às suas estruturas e nem do terminal de Paranaguá.

No que fiz respeito ao que provocou as chamas, a LCD informou que as causas devem ser apuradas pela seguradora do veículo terceiro.

A reportagem questionou a empresa pública Portos do Paraná a respeito do ocorrido e, esta, por sua vez, informou que, por se tratar de uma área arrendada, a responsabilidade com a estrutura é da empresa.

Em relação à Louis Dreyfus

Com a experiência de quase 170 anos no setor do agronegócio, além do fornecimento, transporte e entrega tradicionais de produtos agrícolas brutos, a Louis Dreyfus Company (LDC), atua desde 2008 na comercialização de fertilizantes no Brasil,  e está presente em seis estados – Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás. Em 2011, comprou a empresa Macrofértil, ingressando na operação de ativos industriais. Com essa aquisição, a LDC passou a contar com oito unidades industriais, além de postos comerciais e unidades logísticas – pontos com linha ferroviária com ligação ao porto de Paranaguá.