“Macumba: Uma Gira Sobre Poder”

Companhia Transitória leva ao litoral paranaense o projeto que ganhou o 4º Prêmio Expressões Culturais Afro – Brasileiras – Prêmio Afro

por Redação JB Litoral
21/09/2017 19:18 (Última atualização: 21/09/2017)

Entre os dias 27 de setembro e 6 de outubro, a Companhia Transitória, de Curitiba, fará seis apresentações da peça “Macumba: Uma Gira Sobre Poder” no litoral paranaense.

Agora, a primeira parte da mini-turnê no litoral acontece nos dias 27, 28 e 29 de setembro em Paranaguá, sempre às 20h, no Teatro Rachel Costa (Rua XV de Novembro, 87, no Centro Histórico). Em Antonina, as apresentações serão realizadas nos dias 4, 5 e 6 de outubro, também às 20h, no Teatro Municipal de Antonina (Rua Carlos Gomes da Costa, 266). A entrada em todas as apresentações é gratuita.

“Macumba: Uma Gira Sobre Poder” é financiada pelo 4º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro – Brasileiras (Prêmio Afro) e faz parte do Projeto Macumba, com o qual a Companhia Transitória conquistou a Bolsa Funarte de Fomento aos Artistas e Produtores Negros, em 2014. O projeto combina a pesquisa, o texto teatral, a música e as artes visuais buscando resgatar, fortalecer e disseminar a ancestralidade e a ritualidade africanas.

“Macumba: Uma Gira Sobre Poder” 2

Foto/Miriane Figueira

Em 2017, a Companhia Transitória foi uma das vencedoras do Prêmio Afro na categoria Artes Cênicas. O Prêmio Afro é oferecido pelo Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (CADON). O objetivo é atender às expressões artísticas de estética negra nos segmentos de artes cênicas, música e na área de preservação de bens culturais.

O projeto “Macumba: Uma Gira Sobre Poder” conta com o patrocínio da Petrobras, a realização do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (CADON) e as parcerias da Fundação Cultural Palmares, do Ministério da Cultura e do Governo Federal.

Neste projeto, a Companhia Transitória também conta com a parceria do Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro de Alagoinhas (NATA). A fundadora, diretora, dramaturga, educadora e pesquisadora da cultura africana no Brasil, Fernanda Julia, integrante do NATA, assina a dramaturgia e a direção do espetáculo.

Fernanda é um dos nomes mais importantes da nova dramaturgia brasileira. Ela já trabalhou com os atores Lázaro Ramos e Grace Passô, por exemplo. “É muito importante falarmos de identidade cultural no nosso país. O Brasil é constituído por três matrizes culturais que contribuíram para o seu processo civilizatório. Somos uma diversidade cultural enorme, talvez uma das maiores do mundo. Porém, apenas a matriz branca europeia é valorizada, estudada e conhecida”, explica Fernanda.

“Somos 53,2% de negras e negros no Brasil e, portanto, a nossa cultura e as culturas nativas indígenas devem ser observadas tanto quanto a matriz europeia. Estamos em um país que ainda respira e acredita nas teorias do racismo, então, temos que ter atitudes afirmativas para nos colocar na discussão”, complementa.

Para a Companhia Transitória, que foi criada em 2007, a experiência vem sendo enriquecedora, pois coloca em evidência um instrumento poderoso de modificação da sociedade. “A Transitória é um instrumento para algo maior: o teatro. Ele tem uma importância fundamental, não apenas em minha vida, mas, também, como ferramenta de transformação social para além do entretenimento”, diz Thiago Inácio, um dos fundadores da Companhia.

Além da teatralidade, outro aspecto muito importante em “Macumba: Uma Gira Sobre Poder” é a trilha sonora da peça. “A musicalidade é uma força motriz em nosso trabalho. Buscamos, nessa construção, trazer as raízes da ancestralidade negra através dos toques do candomblé e expandindo para diversos instrumentos, não só os percussivos, mas também nas cordas. A base rítmica, criada em conjunto por todos os compositores, carrega consigo sempre a ideia da vibração dos toques rituais, como uma lembrança, uma homenagem”, explica Clarissa Oliveira, instrumentista do espetáculo no qual toca vários instrumentos ao vivo.

​​
Serviço

O que: Peça “Macumba: Uma Gira Sobre  Poder”.

Quando: De 27 a 29 de setembro em Paranaguá e de 4 a 6 de outubro em Antonina.

Horário: 20h.

Onde: Em Paranaguá no Teatro Rachel Costa (Rua XV de Novembro, 87, no Centro Histórico). Em Antonina, no Teatro Municipal de Antonina (Rua Carlos Gomes da Costa, 266).

 

Site: https://companhiatransitoria.wordpress.com <https://companhiatransitoria.wordpress.com/>

Ficha técnica

Realização: Companhia Transitória. Direção e Dramaturgia: Fernanda Júlia. Assistente de Direção e Músico de Processo: Dominique Faislon. Elenco: Cléo Fagundes (Stand In), Flávia Imirene, Gide Ferreira, Tatiana Dias e Thiago Inácio. Instrumentistas: Clarissa Oliveira, Erick Herculano e Matheus Santos. Direção Musical: Erick Herculano. Técnico de Som: Fernando Abba. Produção de espaço: Saulo de Almeida. Preparador corporal: Dermeval Silva. Preparação Coreográfica: Inês Drummond. Coreografias: Dominique Faislon, Fernanda Júlia, Flavia Imirene, Gide Ferreira, Tatiana Dias, Thiago Inácio e Zebrinha. Preparadora vocal: Priscilla Prueter. Maquiagem: Dominique Faislon. Cenografia: Saulo de Almeida. Maquinista: Antonino Rodrigues. Figurinos e adereços: Carla Torres (Africanize). Artista Visual: Max Carlesso. Iluminação: Wagner Corrêa. Fotografia: Miriane Figueira. Vídeos e teasers: Trópico. Designer Gráfico e Identidade Visual: Rafael Bagatelli.

 

 

 

Fonte:  Marcos Anubis  – 41 9 9630-1697

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário