Maria Fumaça volta a circular em viagens-teste pelos trilhos de Antonina

por Cleverson Teixeira
22/09/2020 21:17 (Última atualização: 23/09/2020)

As viagens começaram no dia 12 de setembro. (Foto: Adriano Almeida/JB Litoral)

Foram realizadas, nos dias 12 e 13 de setembro, as primeiras viagens-teste com passageiros, para a volta da Maria Fumaça, nas regiões de Antonina e Morretes. Com 50% de lotação, por conta da pandemia, os visitantes puderam apreciar a natureza e monumentos históricos dos dois municípios litorâneos.

O experimento foi conduzido, também, no último fim de semana, entre os dias 19 e 20, com os mesmos protocolos. Os bilhetes custaram R$35 por pessoa e, para as crianças de até cinco anos, segundo a organização do evento, a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – Regional Sul (ABPF), não houve cobrança de taxa. A circulação da locomotiva estava prevista para iniciar em abril, mas, também devido à Covid-19, foi adiada para a primeira quinzena de agosto, o que também não aconteceu.

A responsável pelos testes é a ABPF, que é uma entidade civil, sem fins lucrativos, de cunho histórico, cultural e educativo, e disponibilizou a atração para moradores do município e de regiões próximas. “O balanço é bem positivo. A gente está fazendo esse passeio experimental para ver a questão de operação, capacidade do trem, de como ele se comporta. É um produto novo. Tem muitas variáveis”, afirmou o vice-presidente da Associação, Marlon Ilg.

Retorno oficial pode acontecer em novembro

De acordo com o secretário de Turismo e Cultura de Antonina, Thiago Afonso de Souza, as viagens experimentais se estenderão por cerca de dois meses e a oficialização do retorno da Maria Fumaça pode acontecer antes do mês de dezembro. “A princípio, os testes serão realizados até novembro. Eles não têm uma data certa, ainda. A previsão é fazer a inauguração para o fim de novembro”, disse.

O secretário relatou, ainda, que, quando o trem estiver operando de modo definitivo, ele funcionará, além dos fins de semana, nos demais dias, os quais deverão ser definidos pelos responsáveis. Por enquanto, conforme ele, os passeios seguem nesse ritmo, mas com a obrigatoriedade do uso de máscara e álcool em gel durante todo o trajeto.

Novatos e mais experientes aprovam a viagem

No sábado (19), o JB Litoral participou da viagem-teste, no período da tarde. Durante o percurso, não foi difícil perceber os olhares atentos dos passageiros impressionados com cada descoberta. Com um público variado, desde os mais jovens até os mais experientes, o passeio durou cerca de 2 horas e 30 minutos.

Maria Fumaça volta a circular em viagens-teste pelos trilhos de Antonina 1
Cleverson e Vilmara acompanhados do filho.
(Foto: Cleverson Teixeira/JB Litoral)

Apesar de morar em Morretes, Cleverson Lamour, de 32 anos, nunca havia entrado em um trem e conhecido as regiões de mata. A Maria Fumaça, segundo ele, proporcionou um momento cultural e de lazer para a sua família. “A viagem foi gostosa, tranquila, gostei bastante do passeio. Para quem gosta de natureza, é muito bom. É a primeira vez que entro em um trem. Muito boa a iniciativa”, completou.

Lamour estava acompanhado do filho e da esposa. Assim como ele, sua companheira ficou encantada com o que viu. “Foi bem divertido. O pessoal das redondezas olhava e acenava. Foi legal ver os animais que há em volta. Eu não conhecia essas regiões das duas cidades. Foi algo bem diferente”, contou Vilmara do Rosário.

Já para a Dona Hamara Santos Andrade, moradora de Antonina desde 1980, entrar na comitiva foi uma viagem ao passado. “Foi uma lembrança da infância. Eu morava em Curitiba e vinha muito para Antonina de trem, para visitar os parentes. Agora, faz uns 40 anos que moro aqui. Foi ótimo. Até a faísca foi boa. Eu notei que os mais velhos curtiram mais, porque as crianças ainda não têm muito conhecimento da nossa cultura”, relembrou.

Cooperação entre entidades

Maria Fumaça volta a circular em viagens-teste pelos trilhos de Antonina 2
(Foto: Adriano Almeida/JB Litoral)

Para que os trilhos, que atravessam a cidade, voltassem a receber os vagões, foi necessária a assinatura de um termo de cooperação entre a prefeitura, ABPF, Rumo Logística e Governo do Estado. Segundo a Secretaria de Turismo e Cultura de Antonina, cada órgão suprirá algumas demandas.

A administração municipal é a responsável pela disponibilização de máquinas, roçada e limpeza das linhas férreas. Já a Associação Brasileira de Preservação está atuando com a mão de obra e, a Rumo e o Estado, com os dormentes, que são as peças que formam a via.

Ponto de embarque

Maria Fumaça volta a circular em viagens-teste pelos trilhos de Antonina 3
Os passageiros deverão embarcar na Estação Ferroviária. (Foto: Adriano Almeida/JB Litoral)

O ponto de embarque é na Estação Ferroviária de Antonina, localizada na Rua Uruguai, S/N.º, Centro. O espaço foi reinaugurado em 31 de outubro de 2019, depois da parceria entre a prefeitura, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e o Governo Federal, por meio do Programa de Avaliação Continuada (PAC). O valor destinado à reforma do monumento chegou a R$1,2 milhão. Foram renovados o telhado e a fachada, contando com restaurações nas partes internas, mas com a preservação de seus materiais originais.

Os passeios de Maria Fumaça ocorrem aos sábados e domingos e os horários variam conforme organização da Associação Ferroviária. Os bilhetes podem ser retirados no mesmo local. Para mais informações, os interessados devem ligar para a ABPF, no número (47) 9 9986-0600.

Comentários
(1)

  1. Como faço pra comprar passagem , para fazer o passeio de Maria fumaça??moro em Curitiba

Deixe um comentário