MEC coloca ISULPAR na lista de piores faculdades do Brasil

Segundo o MEC, a avaliação da Faculdade foi 2, média tida como insatisfatória.
Ela poderá recorrer, no entanto, existem sanções previstas, como proibição de abrir novos campus e cursos, bem como vagas para graduações já existentes.

por Redação JB Litoral
12/07/2017 21:35 (Última atualização: 12/07/2017)

ISULPAR teve fraco desempenho  na avaliação do MEC. Foto/Débora MariottoAlves/Gazeta do Povo

Na última semana, o Ministério da Educação (MEC) divulgou a avaliação realizada em todas as instituições de ensino superior no Brasil, onde o Instituto Superior do Litoral (ISULPAR), maior faculdade privada em Paranaguá, recebeu média insatisfatória, constando como uma das piores faculdades do país. Criada no ano 2000, a faculdade possui milhares de acadêmicos de Paranaguá e do litoral, e com este resultado negativo poderá ter redução de vagas e proibição de abertura de novos cursos e campus.

A pesquisa analisou 2.109 faculdades no Brasil e foi realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), órgão este pertencente ao MEC. Os números foram obtidos por meio do critério de medida do Índice Geral de Cursos (IGC), o qual realiza esta análise com acadêmicos de todos os cursos oferecidos pela instituição. Os números divulgados na última semana foram obtidos no processo realizado em 2015.
 

MEC coloca ISULPAR na lista de piores faculdades do Brasil 2Segundo o MEC, “castigos” continuarão até que a ISULPAR resolva os problemas apontados. Foto/Wikipedia

Segundo o MEC, o resultado do Instituto foi 2, em um índice que vai de 1 a 5, de mau a ótimo desempenho. A faculdade particular de Paranaguá foi classificada como “insatisfatória” segundo o estudo, ficando atrás inclusive da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), campus Paranaguá. Válido ressaltar que o ISULPAR poderá recorrer da decisão, defesa concedida pelo MEC para todas as faculdades com média abaixo de 3. Segundo o Ministério de Educação, a nota baixa que a Faculdade obteve poderá proibi-la de abrir novos campus e cursos, bem como ampliar vagas para alunos nos cursos existentes, “castigos” que continuarão até que a instituição resolva os problemas apontados pelo órgão superior de educação à faculdade.
 

“Segundo o Ministério de Educação, a nota baixa que a Faculdade obteve poderá proibi-la de abrir novos campus e cursos, bem como ampliar vagas para alunos nos cursos existentes”
 

Atualmente e entidade de ensino superior conta com oito cursos de graduação: Direito, Publicidade e Propaganda – Comunicação Social, Pedagogia, Administração, Gestão Financeira, Gestão Hospitalar, Sistemas de Informação e Gestão Portuária, tendo sua sede localizada na Costeira. Recentemente a instituição inaugurou um novo prédio, assim como abriu o Curso de Publicidade. Este resultado poderá frear a ampliação pretendida pela faculdade, se as sanções previstas forem aplicadas.
 

“No litoral, além do Instituto Superior do Litoral do Paraná, somente o Instituto Educacional do Litoral do Paraná (ISEPE), de Guaratuba, atingiu a mesma nota 2”
 

Em todo o Brasil, 313 faculdades tiveram o Índice Geral de Cursos insatisfatório. No litoral, além do Instituto Superior do Litoral do Paraná, somente o Instituto Educacional do Litoral do Paraná (ISEPE), de Guaratuba, atingiu a mesma nota 2.

 

ISULPAR esclarece nota e reforça sua “qualidade e seriedade na construção do conhecimento”
 

JB Em sua opinião, porque motivo o MEC avaliou conceito 2 ao ISULPAR, considerado insatisfatório?

Prof. Ivan – Para chegarmos ao conceito tão discutível de média 2, precisamos estabelecer algumas diferenciações. O MEC estabelece dois índices de análise: Índice Geral de Cursos (IGC) e o Conceito Institucional (CI).

O IGC fundamenta-se no desempenho do aluno submetido ao ENADE.

Nas últimas avaliações do ENADE, participaram alunos dos cursos de Direito, Sistemas de Informações, Pedagogia e Administração. Os três primeiros lograram média 2, somente Administração obteve conceito 3. O quadro agravou-se quando nove alunos dos cursos de Geografia e Turismo (Cursos Extintos) obtiveram conceito 1. Provocando a queda do IGC de 3 para 2.

O CI refere-se à avaliação de todo universo da Instituição. Em 2016, recebemos uma comissão do MEC para o recredenciamento institucional. Feitas as avaliações, o INEP publicou a aprovação do recredenciamento, pela Portaria Ministerial N° 915/2016 – CI 3.

Há situações questionáveis, como, alunos do Curso de Direito que fizeram o ENADE e não foram bem nas avaliações. Estes mesmos alunos fizeram o exame da OAB e obtiveram desempenho acima da média nacional.

No ENADE não há vínculo de natureza acadêmica, pois a nota não é registrada no histórico. Esse descomprometimento com a IES cria situações prejudiciais à imagem institucional.

JB Como avalia a pesquisa feita pelo INEP, órgão pertencente ao MEC, que assim qualificou a faculdade?

Prof. Ivan  – Em 2016 e 2017, o ISULPAR recebeu comissões do MEC “in loco” para autorização e reconhecimento de diversos cursos. Caso a Faculdade, fosse considerada “uma das piores”(sic) pelo MEC, não teríamos as deliberações: Autorização Curso de Arquitetura e Urbanismo, Portaria Ministerial N° 301/2017 e Aprovação do Curso de Logística.

Renovação de reconhecimento dos Cursos de Administração e Direito.

Reconhecimento dos cursos de Gestão Portuária, Financeira e Hospitalar.

JBComo avalia o nível de ensino do ISULPAR?

Prof. Ivan – Temos um comprometimento da Mantenedora e dos colaboradores em oferecer qualidade e seriedade na construção do conhecimento. Nossa estrutura é comparável às melhores instituições da capital. Os investimentos são contínuos, como a construção de um moderno anfiteatro e novos laboratórios. O ISULPAR, ao longo de 16 anos de atividades, confirma uma atuação relevante para a prática profissional, comprovada pela atuação de seus egressos.

Alguns veículos da imprensa nacional, não souberam discernir os valores atribuídos ao IGC e CI.  Essa análise deprecia o trabalho de instituições comprometidas com a seriedade. Não será uma avaliação insatisfatória, momentânea, que irá nos abstrair de nossas atividades acadêmicas. Esse é o ISULPAR que queremos: uma Instituição que contribui para o desenvolvimento do litoral do Paraná e do Brasil.

 

*Com informações da revista Exame

Deixe um comentário