Morretes busca tecnologia para melhorar serviços públicos

Município “investe”em software livre e prevê economia de R$300 mil a cada ano.

por Redação JB Litoral
30/01/2015 18:00 (Última atualização: 30/01/2015)

NULL

Possibilitar ao cidadão, em um click, retirar certidões ou um simples carnê de IPTU pela internet. A atual gestão de Morretes, importante município turístico do litoral paranaense, planeja diversas ações que resultem em maior conectividade e melhoria da gestão pública, gerando economia e ao mesmo tempo suprindo diversas demandas.

A interligação dos prédios públicos é uma das principais necessidades, conforme conta o diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Prefeitura de Morretes, Tacio Walace Barros, que assumiu o cargo em 2013 e a missão de implantar o setor, antes terceirizado.

Na opinião dele, investir em tecnologia requer estudos e precisa ser gradativo. Somente com a criação do setor de Informática na prefeitura, segundo Barros, a economia aos cofres públicos é de R$12.500 por mês, isso sem falar na “a segurança dos dados do município”, reforçado por ele. 

A interligação dos prédios públicos é uma das principais necessidades, conforme conta o diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Prefeitura de Morretes. Tacio Walace Barros

Atualmente, a equipe, composta por quatro técnicos, passa por treinamentos oferecidos gratuitamente pela Confederação Nacional dos Municípios para uso da plataforma Urbem, sistema que apresenta uma série de recursos para modernização da gestão municipal e de gerenciamento de setores Administrativo, Tributário, Recursos Humanos e Patrimonial. A estimativa é que com o uso do software livre sejam economizados cerca de R$300 mil por ano.

Entre as iniciativas para transformar Morretes em uma cidade digital, de acordo com o diretor, está a proposta de utilizar as nove escolas municipais (a grande concentração da população está fora do perímetro urbano) em centros de convívio, tornando-os pontos de acessos públicos à internet e de oferta de serviços da prefeitura. “Não adianta ter a cidade digital se não tiver uma plataforma para atender esse cidadão”, avalia Barros. “A Cidade Digital é o principal elo de contato da gestão com a comunidade. É a essência da transparência”, resumiu ele sobre o acesso às informações do município proporcionadas pelo uso da Tecnologia da Informação e Comunicação na gestão pública.

Ações – Em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR Litoral), equipes da Defesa Civil e Ação Social da prefeitura de Morretes já utilizam a tecnologia na prevenção de calamidades públicas. Para isso, tablets e o acesso a informações georreferenciadas, fornecidas pelo software gvSIG, servem de base para o trabalho.

Internet gratuita – Em termos de inclusão digital, a prefeitura já disponibiliza na praça principal da cidade o sinal gratuito de internet para a comunidade, deixando o local mais atrativo para jovens e famílias.

Fórum Regional de Cidades Digitais

O Litoral deve sediar, no dia 20 de fevereiro, o primeiro Fórum Regional de Cidades Digitais do Estado. A iniciativa está sendo articulada pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (AMLIPA) e Prefeitura de Morretes, com o objetivo de discutir as necessidades da região, integrada por sete municípios: Morretes, Antonina, Guaraqueçaba, Paranaguá, Guaratuba, Pontal do Paraná e Matinhos.

Outros fóruns estão programados para o decorrer do primeiro semestre de 2015. “Serão eventos para aprofundamento dos temas e contato direto com os prefeitos e gestores públicos, de modo a abrir maior espaço para atendimentos personalizados e que atendem plenamente os interesses dos Municípios e das empresas que têm serviços e produtos inovadores no campo da tecnologia, culminando no principal foco que é a melhoria dos serviços públicos”, explicou o diretor da RCD, José Marinho.

Deixe um comentário