Paranaguá

Marquinhos Roque e Edu: candidatos que declararam mais bens no TSE

Marquinhos Roque e Edu: candidatos que declararam mais bens no TSE
Um levantamento feito pelo JB Litoral, no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), www.tse.jus.br, na ferramenta DivulgaCand, entre os 25 candidatos de Paranaguá para a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) e Câmara Federal, mostrou que os vereadores Marcus Antonio Elias Roque (PODEMOS) e Eduardo Francisco Costa de Oliveira (PSDB), o Edu, são os que declararam ter o maior valor, em bens patrimoniais, nesta eleição. [caption id="attachment_20407" align="aligncenter" width="690"] Campeão de bens declarados para estadual com R$ 271 mil[/caption] Marquinhos Roque, atual Presidente do Poder Legislativo e irmão do Prefeito Marcelo Elias Roque (PODEMOS) disputa uma vaga como deputado estadual e afirmou possuir R$ 271.998,01, enquanto o Edu, servidor da Receita Estadual, que busca, novamente, uma vaga como deputado federal informou R$ 560 mil em patrimônio. [caption id="attachment_20408" align="aligncenter" width="743"] Campeão de bens declarados para federal com R$ 560 mil[/caption] O presidente da Câmara, mesmo sendo o campeão em valores para a ALEP, anunciou um limite de gasto de R$ 1 milhão na campanha, em 2014, entretanto a declaração foi inferior e ficou em R$ 208.202,09. O mesmo ocorreu com o Vereador Edu o qual afirmou um limite legal de R$ 2.5 milhões de gastos na campanha e, em 2014, informou um patrimônio de R$ 359 mil, mais de R$ 200 mil acima do prestado neste ano. [caption id="attachment_20406" align="aligncenter" width="684"] Declarou R$ 225 mil em bens e o marido R$ 1 milhão em 2014[/caption] Ainda na disputa pela Assembleia Legislativa, a vice-campeã de declaração é a Engenheira Jozaine Baka, que mencionou R$ 255.587,04 e um limite legal de gastos de R$ 1 milhão.

Entretanto, em 2014, seu marido o Ex-prefeito José Baka Filho (PDT), que disputou uma vaga como deputado federal, na época, revelou ter R$ 1.029.125,69 de patrimônio.

[caption id="attachment_20409" align="aligncenter" width="667"] Ficou na 2ª colocação com R$ 411 mil[/caption] A vice-campeã em patrimônio para a Câmara Federal é Roseli Bernardes, do Patriotas, que informou capital de R$ 411.684,01 e limite de gasto de R$ 2.5 milhões. [caption id="attachment_20410" align="aligncenter" width="663"] Ficou na 3ª colocação com R$ 209 mil[/caption] Fecha a terceira colocação para a ALEP o Professor Jefferson Eckelberg (PSOL) mencionando R$ 209.000,00 e um limite de gasto de R$ 1 milhão. [caption id="attachment_20411" align="aligncenter" width="660"] Aumentou seu patrimônio de 2014 e declarou R$ 396 mil[/caption] O terceiro de maior patrimônio para a Câmara Federal é o Jornalista André Pioli o qual alegou R$ 396.973,93 e um limite de gastos de R$ 2.5 milhões. Ele aumentou seu patrimônio em R$ 39.855,17 em relação a 2014, quando revelou R$ 357.118,76. Surpresas Os bens mencionados mostraram algumas surpresas entre os 25 candidatos locais que possuem nome e número nesta eleição. Vale destacar que alguns candidatos declararam não possuir patrimônio e, mesmo assim, anunciaram limites de gastos na campanha. São os casos do Vereador e Estivador aposentado, Adilson Soares Zela (PPL), o Tucano, e do Empresário Rogério Credense (PSL). No caso do vereador, em 2016, quando disputou e venceu, ele noticiou R$ 100,00 em bens, no caso uma linha telefônica residencial e, hoje, não apresentou nenhum patrimônio. Porém, chamou a atenção a declaração do Vice-prefeito, Arnaldo Maranhão (PODEMOS). Ele informou um patrimônio de R$ 63.626,55, quase o valor recebido como servidor da prefeitura de abril até julho deste ano, que foi de R$ 58.692,10. O que contrastou no levantamento junto ao TSE, em relação às eleições já disputadas por Maranhão. Apesar de sua função como auditor fiscal da prefeitura, que possui um dos maiores salários da administração, cerca de R$ 12 mil ao mês, em 2008 o patrimônio anunciado foi de R$ 109.169,36 e, na votação de 2012, aumentou para R$ 111 mil. Contudo na disputa municipal de 2016, ele informou um patrimônio de R$ 74.860,35. Menos de dois anos após, foi reduzido em R$ 11.233,80. [caption id="attachment_20412" align="aligncenter" width="668"] Com salário de R$ 12 mil ao mês como auditor, vice-prefeito declarou apenas R$ 63 mil de patrimônio[/caption] Para a Câmara Federal não revelaram suas posses os candidatos Emmanuel Caetano Lobo Damaso de Oliveira Gomes Alves Ferreira (PCO) e Bianka Ribas (MDB). Também não consta no Portal do TSE o registro de candidatura do Professor Bruno Gasparini do REDE para a ALEP, razão pela qual não é possível informar seu registro de bens. Veja todas as declarações que constam no site Divulga CAND. Uma novidade mostrada neste levantamento foi a candidatura para Câmara Federal da servidora municipal aposentada Célis Regina Costa Schneider pelo PDT. [caption id="attachment_20413" align="aligncenter" width="667"] Servidora municipal aposentada declarou R$ 18 mil em bens[/caption]  Assembleia Legislativa do Paraná Marquinhos Roque – R$ 271.998,01 Jozaine Baka – R$ 255.587,04 Jefferson Eckelberg – R$ 209.000,00 Waldir Leite – R$155.289,59 Fabiano Elias – R$ 144.050,00 Reilly Algodoal – R$129.900,00 Alceuzinho Maron – R$ 69.500,00 Gilson Marcondes – R$ 18.552,97 Professora Daniele – R$11.605,00 Claudia Santos – R$ 5.500,00 Rogério Credense – Nenhum bem cadastrado Tucano – Nenhum bem cadastrado Professor Bruno (REDE) – Não está no site Câmara Federal Edu – R$ 560.000,00 Rose Bernardes – R$ 411.684,01 André Pioli – R$ 396.973,93 Adriano Ramos – R$ 183.000,00 Osni Junior – R$105.000,00 Vinicius Prado – R$ 66.000,00 Arnaldo Maranhão – R$ 63.626,55 Jozelito – R$ 46.900,00 Célis Regina da Costa Schneider (PDT) – R$ 18.000,00 Tomas – R$16.000,00 Leslie – R$15.000,00 Bianka Ribas – Nenhum bem cadastrado Emmanuel Caetano Lobo Damaso de Oliveira Gomes Alves Ferreira (PCO) – Nenhum bem cadastrado