Destaques

Ambientalistas propõem mudanças no projeto da Faixa de Infraestrutura no litoral do Paraná

Ultima Atualização: 24.08.2019 às 14:23:40
cicloparagem.jpg


Fonte: G1 Paraná

Um grupo de ambientalistas apresentou uma proposta nesta sexta-feira (23) ao Governo do Paraná que promete ser menos invasiva para a região do litoral do que atual proposta da Faixa de Infraestrutura, que prevê a construção de uma nova rodovia, paralela à PR-412.



O projeto estuda a nova estrada com 33 km de rodovias e 50 km de ciclofaixas. A estrutura, que pretende ligar a Praia de Leste a Pontal do Sul, foi projetada para acelerar o turismo e o comércio do litoral, com cinco novos mirantes.



A proposta foi elaborada por 20 organizações não governamentais (ONGs) como uma alternativa ao projeto feito pelo governo de Beto Richa, de criar a chamada Faixa de Infraestrutura.



O governo anterior propôs 20 km de estrada para ligar a PR-407 a Pontal do Paraná. Com isso, a obra abriria uma clareira no meio na Mata Atlântica. Esse projeto foi alvo de críticas dos ambientalistas e do Ministério Público (MP-PR).



Para os promotores, o governo iria gastar dinheiro público para beneficiar uma empresa privada: o novo porto de contêineres, em Pontal do Paraná.



Ambientalistas propõem mudanças na faixa de infraestrutura no litoral do Paraná — Foto: Reprodução/RPC



Custo da obra



O antigo projeto da Faixa de Infraestrutura custaria aos cofres do estado R$ 369 milhões, mais que o dobro do novo projeto apresentado que deve custar R$ 127 milhões.



O impacto ambiental também é menor, com seis hectares de área desmatada, contra 300 hectares do projeto anterior.



"Orçamento viável dentro de uma proposta de desenvolvimento e que traz um ganho em longo prazo com investimento menor nesse momento", disse o gerente do Observatório de Justiça e Conservação André Petick Dias.



O governo do estado criou um grupo de trabalho, composto por técnicos, ambientalistas e representantes da sociedade civil, para analisar a proposta apresentada.



O secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo Márcio Nunes afirmou que o estado quer buscar um projeto que una desenvolvimento a preservação ambiental, e que o governo não vai investir dinheiro público para beneficiar um empreendimento privado.



"Nós criamos um novo conceito de construir uma estrada que possa representar a grande reserva da mata atlântica e vamos construir uma outra área levando em consideração o ciclo turismo, grandes paradas para poder valorizar o turista. Então nós vamos conseguir de um jeito só fazer com que os dois projetos se tornem complementares", explicou Nunes.



O MP também participou da reunião e avaliou como positiva a proposta da nova estrada feita por ambientalistas.



"Houve uma sinalização muito expressa, muito clara de que não haverá uma estrada para ligar a um empreendimento privado, a um porto, mas sim uma estrada para atender a população. A ideia do grupo de trabalho é justamente buscar uma alternativa que traga o menor prejuízo ambiental e socioambiental possível", afirmou o promotor Alexandre Gaia.



A assessoria do ex-governador Beto Richa afirmou que não vai se manifestar sobre as mudanças no projeto.


Comentários