Paranaguá

Caso de sarampo é confirmado em Paranaguá; outros 13 estão em investigação

Ultima Atualização: 14.12.2019 às 01:08:44
Secretaria de Saúde informa que vacinação contra o sarampo ainda está disponível à população

Após 20 anos sem registro de casos confirmados de sarampo no Paraná, foi constatado, em agosto, o primeiro caso em Campina Grande do Sul. E, na última semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Paranaguá (SEMSA) confirmou um caso importado da doença no município.

Um paciente de Joinville, em Santa Catarina, que já havia sido considerado suspeito, veio para Paranaguá e, ao se consultar na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), teve o diagnóstico da doença realizado. “Quando ele se consultou na UPA, fez o exame que confirmou o sarampo. A partir daí, foi realizado o bloqueio vacinal nos familiares e busca ativa pela equipe do programa Estratégia Saúde da Família para bloqueio vacinal e monitoramento de 21 dias das pessoas que tiveram contato com o paciente”, informa a SEMSA.

De acordo com o vereador Jaime Ferreira dos Santos (PSD), o Jaime da Saúde, que confirmou ao JB Litoral a primeira ocorrência de sarampo no município, já existem 13 casos suspeitos da doença que estão sendo investigados. “Apesar de ter sido feito o bloqueio vacinal da família do garoto de Joinville, ele andou pela cidade, então há o risco da contaminação das pessoas que estiveram próximas a ele”, diz.
 

Vereador apresentou Projeto de Lei que torna a vacinação obrigatória


Parnanguara não se previne


Ele lamenta a baixa cobertura vacinal em Paranaguá. “O povo parnanguara não tem o costume de se prevenir, é só quando acontece uma desgraça, uma morte, que as pessoas vão buscar os postos de saúde. E é quando começa o inferno na unidade, porque existe um boom, todo mundo querendo tomar a vacina, que vem em uma quantidade x. Aí vira um caos o sistema de saúde, porque as pessoas tiveram a oportunidade e não fizeram antes”, afirma.

Segundo o vereador, que é, também, Técnico de Enfermagem e Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde do Litoral do Paraná (SINDEESP), existe uma grande probabilidade de haver um surto de sarampo na cidade. “Com um caso confirmado e 13 suspeitos, a possibilidade é grande.

A população tem que se cuidar, tomar as vacinas, pois é a única forma de prevenção. Inclusive, há um Projeto de Lei em tramitação na Câmara Municipal, de minha autoria, que busca tornar obrigatória a vacinação na cidade”, explica.

A Secretaria de Saúde ressalta que a Campanha de Vacinação contra o Sarampo foi realizada em todas as Unidades Básicas de Saúde, inclusive, em algumas unidades, em horário estendido, até às 23h. “Elas permaneceram abertas durante todo o sábado, no último dia 30, para que as pessoas pudessem se vacinar, e, infelizmente, a procura pela vacina permaneceu baixa”, lamenta a SEMSA. No entanto, a secretaria destaca que a imunização continua disponível nas unidades de saúde para a população.

A vacinação é a melhor forma de evitar a doença, mas por conta do relaxo de todo mundo, do Governo Estadual, Municipal e da população, vai acabar morrendo gente na cidade”, conclui o vereador Jaime da Saúde.

Matinhos teve caso confirmado

O sarampo é uma infecção viral, aguda, altamente contagiosa, transmitida por via aérea, por intermédio da fala, espirro, tosse e respiração. Pode acometer todas as faixas etárias suscetíveis, tendo maior gravidade nos extremos de idade. O vírus pode levar a complicações como encefalite, meningite e pneumonia.

De agosto, quando foi confirmado o primeiro caso no Paraná, até o momento, já foram realizados 538 diagnósticos da doença, e 989 casos estão em investigação.

O boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, publicado na quarta-feira (04), ainda não registrou o caso de sarampo confirmado em Paranaguá, no entanto, mostra que, no período de agosto até o dia 04, um caso foi confirmado em Matinhos. Além disso, informa que está em investigação um caso em Antonina, um em Guaratuba, um em Morretes, dois em Pontal do Paraná e 13 em Paranaguá.


Comentários