Destaques

Em 10 meses de gestão, sete comissionados são exonerados da Portos do Paraná

Ultima Atualização: 07.11.2019 às 12:59:19
Mais exonerações ocorreram com a posse do Diretor Administrativo-financeiro (Foto/Claudio Neves/Portos do Paraná)

Com uma nova diretoria já iniciada de maneira tardia, visto que as nomeações aconteceram dias 16 e 30 de janeiro, a empresa pública Portos do Paraná esteve, por quase um mês, sem um presidente. Entretanto, isto não foi um impedimento para as designações dos cargos de confiança, uma vez que, até o final de março, quase 100 vagas já estavam preenchidas.

Apesar de as nomeações serem recentes, em abril, aconteceu o remanejamento de cerca de 30 servidores, que tiveram alterações em suas funções, o que pode acarretar em mudança salarial e, no caso de servidor efetivo, retorno à sua função original.

A primeira exoneração ocorreu nos primeiros dias de junho, quando uma Coordenadora Operacional, que havia sido nomeada em 10 de janeiro, foi desligada da empresa pública. Porém, o primeiro grande desligamento, que repercutiu na imprensa local e, até mesmo, nacional, foi o pedido de exoneração feito pelo então Diretor Administrativo-financeiro, Luiz Fernando Gaspari de Oliveira Lima. A solicitação aconteceu em 23 de julho, um dia depois de a Justiça determinar sua saída, atendendo a um pedido do Ministério Público de Contas (MPC), que denunciou, em abril, irregularidades na nomeação de 16 membros de diretorias de estatais, entre eles, Gaspari.
 

O ex-Diretor Gaspari pediu desligamento, logo após Justiça determinar sua exoneração Foto/Portos do Paraná

A partir de então, somente nos últimos dias de outubro, cinco nomes foram exonerados de cargos de confiança na Portos do Paraná. Todos os desligamentos aconteceram semanas depois de o novo Diretor Administrativo-financeiro, Daniel Romanowski, assumir o cargo, no final de setembro. 

O primeiro a ser exonerado, em 21 de outubro, foi Bruno Alves Cunha de Oliveira, que havia sido nomeado, em 27 de maio, para o cargo de Chefe de Seção de Compras. Antes de ir para a empresa pública, ele trabalhou no Poder Legislativo de Paranaguá como Assessor Parlamentar do Vereador Nilo Ribeiro Monteiro (PP).

As quatro exonerações seguintes aconteceram, todas, no dia 25 de outubro, e os servidores comissionados haviam sido nomeados em fevereiro.

O JB Litoral questionou a Assessoria de Comunicação (Ascom) da empresa pública a respeito dos desligamentos. Por sua vez, a Ascom informou que a gestão da Portos do Paraná tem poder de decisão para nomear ou exonerar os cargos em comissão, conforme legislação.


Comentários