Destaques

Prefeito Marcelo Roque: “Dou nota 8,5 para nossa gestão neste ano”

Ultima Atualização: 01.01.2020 às 22:27:50
“Vou disputar a eleição pelo Podemos e deixo o cargo de vice aberto para o PSD”, diz o prefeito

Na sexta-feira (27), o JB Litoral recebeu a visita do prefeito de Paranaguá, Marcelo Elias Roque (Podemos), que encerra nesta semana o terceiro ano de mandato.

Acompanhado pela secretária de Comunicação Social, a jornalista Camila Roque e do jornalista Leonardo Albini Barbosa, o prefeito concedeu sua 1ª entrevista na redação desde 2017, onde falou sobre as obras já realizadas, as promessas de campanha, a disputa por mais um mandato, em 2020, entre outros assuntos polêmicos.


JB Litoral - Mais um ano de gestão se finaliza e, levando em conta os apoios recebidos dos Governos Estadual e Federal, além de deputados e parcerias privadas, qual nota senhor dá para o Executivo em 2019 e o motivo?


Prefeito – Nunca dá para dar nota 10, que seria quando as coisas estão boas, mas a cidade é uma obra inacabada, então dá para dar um 8,5 para a nossa administração, porque o trabalho nesses três anos foi diferenciado. Também quero agradecer aos deputados que nos ajudaram ao longo desses três anos, tanto os federais quanto estaduais.


JB Litoral – Das obras realizadas somente com recursos municipais, quais as três que você considera mais importantes?


Prefeito A mais importante de todas, que era um sonho que se tornou realidade, é a Unidade Avançada do Erasto Gaertner. Isso será um marco da nossa administração e que é 100% dinheiro do cofre público municipal. Investimos R$ 500 mil na reforma do prédio, mais R$ 1 milhão na aquisição de equipamentos e mais R$ 200 mil por mês em insumos e profissionais que trabalharão aqui. Temos tratativas com o Governo do Estado para que, no ano que vem, ele entre com verba para podermos atender aos outros municípios do Litoral.

Mas, claro, temos outras obras, como os asfaltos que estamos fazendo por toda Paranaguá, chegando a quase 60 quilômetros em menos de três anos. Os investimentos na educação também são importantes, mas também as subprefeituras, uma foi inaugurada neste ano, no CAIC, e, para o ano que vem, temos mais três, em Alexandra, na Vila Cruzeiro e na Ilha dos Valadares, descentralizando assim o serviço público.

O tripé de qualquer gestor público sempre será saúde, educação e segurança, e é no que estamos investindo.

JB Litoral - A Câmara Municipal vive em um momento delicado entre os vereadores de situação e os de oposição. Como você conseguiu conciliar o trabalho do Executivo com o Legislativo?


Prefeito – Temos os vereadores da base, que são a grande maioria, mas não vejo dessa forma. Todas as matérias que tenho mandado para a Câmara Municipal são de interesse da população. Claro que há divergências, se todo mundo pensasse da mesma forma o mundo seria muito ruim, mas a gente tem feito um bom trabalho justamente por causa da união do Executivo com o Legislativo. Parabenizo e respeito não só os vereadores da base, mas todos os 19, cada um com seu trabalho.


JB Litoral – Ao longo do ano, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) questionou, e até suspendeu, algumas licitações e contratos considerados suspeitos de irregularidades. Em sua opinião, o que favoreceu essas intervenções? Falhas humanas ou rigor exacerbado do TCE?


Prefeito Na verdade é entendimento técnico, mas todas as licitações que estamos realizando no município são respaldadas. Temos uma Comissão de Licitação que já fez várias licitações, claro que uma ou outra é questionada. Estamos tentando fazer uma licitação de lixo há mais de dois anos e não conseguimos, queremos unir tudo em um contexto só, para que atinja 100% da cidade, mas tem a demanda das empresas que entram na Justiça questionando, por exemplo. A parte mais chata da administração pública é a parte burocrática, mas a gente respeita.

Quero destacar, também, que nunca houve na história do município que já teve as duas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas. Minhas contas de 2017 e 2018 já estão aprovadas, e a de 2018 já está para ser votada na Câmara. Espero que a de 2017 também chegue ano que vem para ser votada junto.


JB Litoral – As redes sociais e o Observatório Social de Paranaguá também realizam um trabalho de fiscalização e cobrança às ações do Executivo. Como você enxerga a atuação destas duas ferramentas?


Prefeito – A rede social é muito importante, o Observatório Social também é, mas às vezes eu tenho alguns questionamentos porque há alguns segmentos políticos lá dentro, e eu não concordo com esse tipo de situação. Mas é um trabalho importante de fiscalizar e estar junto com o Ministério Público.

E a rede social também ajuda a fiscalizar o Poder Executivo, porque ali estão todas as demandas: a rua que está com lixo, a LED que não chegou. Sou uma pessoa que usa bastante o Facebook, ali é um espaço democrático, e a gente tenta melhorar sempre usando a rede social. Claro que tem o lado negativo disso, porque hoje algumas pessoas que estão entre o computador e o Facebook se acham desembargadores, juízes, engenheiros, médicos, sabem tudo da cidade, e isso atrapalha um pouco, mas a gente tira de letra.


JB Litoral – De janeiro para cá, você investiu na realização das promessas de campanha. Em 2020, por ser um ano eleitoral, terá tempo de cumprir as restantes?


Prefeito – Vou! Sobre as subprefeituras, fizemos essa primeira, que saiu rapidamente porque foi um Termo de Ajuste Urbanístico entre a empresa Harbor e a prefeitura, porque a burocracia para o Poder Público fazer algo é muito grande. Mas o projeto inteiro da subprefeitura em contêiner é nosso, da nossa parte técnica, e com o termo de ajuste foi mais fácil para uma empresa privada fazer rapidamente. E já estão sendo licitadas as de Alexandra e Ilha dos Valadares, que serão obras do município, com investimentos do cofre público.


JB Litoral – Neste ano, o vice-prefeito, Arnaldo Maranhão, que foi secretário de Obras por dois anos, se afastou da gestão.

O que isso representou política e administrativamente?


Prefeito Na realidade, as parcerias chegam a um fim. Vivemos em um país democrático, o vice entendeu que foi candidato a deputado federal e que pode ser candidato a prefeito, então a gente entende isso. É aquele ditado: não dá para duas pessoas ocuparem o mesmo espaço. Ele está procurando o seu caminho e eu estou fazendo nosso trabalho pensando sempre em Paranaguá. Não teve briga, não teve nada.


JB Litoral – Sem Arnaldo Maranhão como vice, quais serão os critérios para definir o vice no ano que vem? Podemos esperar alguém do setor religioso, sindicalista ou uma mulher?


Prefeito Nenhum pré-candidato vai falar qual é o seu vice de imediato, até porque as portas se fecham. Acho que o vice tem que ser analisado próximo à eleição, por meio de uma pesquisa, e é isso que faremos. Se fala muito em João Lozano (presidente da Estiva), mas não tem nada acordado, porém é um nome muito bom para ser avaliado. A questão de uma mulher também já foi ventilada, e a questão religiosa também.


JB Litoral - Existe a possibilidade de você disputar a eleição, em 2020, pelo PSD?


Prefeito – Sobre eu disputar a reeleição quem vai definir é o povo de Paranaguá. Chegando perto da eleição, vamos fazer uma consulta para ver se desempenhamos bem o nosso trabalho. Mas, de partido, vou disputar pelo PODEMOS e deixo o cargo de vice aberto ao PSD.


JB Litoral – O deputado estadual Galo anunciou que pode disputar a prefeitura. Como o senhor vê essa possiblidade e como isso será possível, sendo ele do Podemos?


Prefeito – Ele pode anunciar e, saindo do Podemos, pode ir para qualquer outro partido. Só que tem a questão da perca do mandato, com ocorreu com meu irmão Marquinhos Roque. Se ele tem vontade de sair candidato, que procure um espaço para pois vivemos num país democrático. E não tenho nada contra ele, pelo contrário, pois me dou muito bem.  


JB Litoral – O que os parnanguaras podem esperar de você como prefeito nesta reta final da sua gestão?


Prefeito – Sei que é um ano eleitoral e as pessoas não terão o porquê de falar que estou fazendo algo só no último ano. Estou trabalhando desde o primeiro dia de mandato fazendo benfeitorias para o povo, e finalizarei 2020 fazendo muito mais. Mais asfalto, mais saúde, com o Erasto Gaertner e a reforma e ampliação da UPA, uma UPA de verdade agora, mais educação, continuando o trabalho de ampliação de salas de aula, além disto, estamos concluindo a licitação de um CMEI no Labra. Na área de segurança pública, até agora, já investimos mais de R$ 22 milhões na aquisição de viaturas, coletes, armamento, academia, aposentadoria especial dos Guardas Civis Municipais, adicional de risco no salário base de cada um, carro elétrico para a segurança do município, área rural e ilhas.

Comentários