Destaques

Prefeitura pagará R$ 164 mil por Terminal com ar condicionado diante da Semedi

Ultima Atualização: 14.11.2019 às 21:41:42
Cada Terminal de container com ar condicionado custará R$ 164 mil

Bastante usado no Mato Grosso, inclusive na capital Cuiabá, o reaproveitamento de contêineres para uso como abrigo em terminais de pontos de ônibus, foi adotado pela gestão do Prefeito Marcelo Elias Roque (Podemos) a partir deste ano, com a instalação de 99 unidades nas ruas, avenidas e praças de Paranaguá.

No processo licitatório, a Prefeitura propôs a contratação no valor máximo de R$ 2.8 milhões (R$ 2.842.100,00) para todo o conjunto mobiliário do sistema de transporte coletivo. Na disputa pelo serviço, a empresa curitibana General Engenharia de Obras Ltda saiu vencedora e deve faturar R$ 2.830.470,00.

De acordo com o estabelecimento concorrente, Delta Indústria e Comércio de Mobiliário Urbano EIRELI – EPP, que também disputou a licitação, a General Engenharia de Obras Ltda não possui, na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e, tampouco em seu contrato social, um ramo de atividade pertinente à prestação do serviço.

Com a homologação do contrato, a empresa instalará, no município, 65 abrigos de 4.5 metros, 21 de 9 metros, 11 de 3.5 metros e dois terminais feitos com contêiner marítimo reaproveitado, com 12.18 metros, que possuem ar condicionado e WI-FI, segundo o Edital da Concorrência Pública 54/2018. Cada um destes terminais custará, aos cofres públicos, cerca de R$ 164 mil (R$ 164.444,00).
 

Em Cuiabá, pontos de ônibus são custeados pela iniciativa privada
 

Diferentemente do realizado em Paranaguá, com a implantação dos abrigos sendo custeada com recursos públicos, a Prefeitura de Cuiabá, a partir deste ano, abrirá processo de Chamamento Público para a construção de novos pontos na cidade, mas a iniciativa privada irá se responsabilizar por cada abrigo a ser implantado. Em troca, segundo o Executivo, as empresas podem explorar o espaço do ponto com o uso de publicidade por um prazo mínimo de cinco anos.

O mesmo exemplo foi adotado pela iniciativa privada, no ano passado, no Mato Grosso, que inaugurou o primeiro ponto de ônibus sustentável com investimentos do Shopping Pantanal, em Cuiabá. Ele foi elaborado a partir de um contêiner restaurado de 12 metros, mesmo tamanho do que o que foi instalado diante da Secretaria Municipal de Educação e Ensino em Tempo Integral (Semedi).
 

Abrigo de container do mesmo tamanho, em Cuiabá, custou R$ 70 mil. Foto/ Gustavo Duarte/Prefeitura de Cuiabá


Lá, terminal custou cerca de R$ 70 mil


O diferencial neste terminal, em relação ao de Paranaguá, é o custo do equipamento, uma vez que o Shopping gastou cerca de R$ 70 mil, incluindo a instalação de placas solares, WI-FI e pontos para carregar celular.

O JB Litoral fez um levantamento básico de custo do Terminal, por meio de um empresário que atua na área portuária com contêiner e outro na de construção civil, e ambos viram como alto o gasto realizado nas duas cidades, Cuiabá e Paranaguá, levando em conta a estrutura e mão de obra usada.

De acordo com o empresário da área portuária, um contêiner de 20 pés, de aço puro, custa em torno de R$ 3 a 4 mil, e o de 40 pés de R$ 5 a R$ 8 mil, e, na internet, é possível encontrar preços semelhantes. Na empresa Porto Container o Dry, de 12 metros, sai a partir de R$ 7.5 mil.

O preço do ar condicionado Split HW Springer Midea, de 18.000 BTUs, usado no Terminal de Paranaguá, para o consumidor, é cerca de R$ 2,2 mil a R$ 3,5 mil. Segundo o empresário da construção civil, estes equipamentos, somados ao vidro temperado, pintura e instalação elétrica, chegariam a um valor em torno de R$ 30 mil que, acrescentada a mão de obra e a locação de um caminhão Munck para movimentar o contêiner, totalizaria o custo em cerca de R$ 50 a R$ 60 mil. Razão pela qual ambos opinam que o montante utilizado pelas Prefeituras pode estar elevado tanto em Paranaguá, como em Cuiabá.  


Comentários