Policial

Reunião apresenta projeto piloto de identificação imediata para delegados da Operação Verão

Projeto tem como objetivo a verificação de dados biográficos e pesquisa de impressão digital
Fotos: Divulgação / Polícia Civil
Fotos: Divulgação / Polícia Civil

O Instituto de Identificação do Paraná (IIPR), apresentou, na manhã desta quinta-feira, 6, o projeto piloto do sistema biométrico de identificação digital, que inicialmente será utilizado durante a Operação Verão e posteriormente em todas as delegacias do Estado do Paraná.

Conforme as informações, divulgadas no site da Polícia Civil do Paraná, o projeto tem como objetivo a verificação de dados biográficos e pesquisa de impressão digital no banco de dados do Instituto identificando de maneira imediata o indivíduo conduzido à delegacia, confrontando os dados biométricos coletados no momento da prisão com o banco de dados do Instituto de Investigação, o qual atualmente conta com mais de oito milhões de digitais.

“O procedimento que levava meses, até anos para ser realizado, agora ficará pronto em segundos ou minutos, além de dar mais integridade ao trabalho da polícia judiciária”, falou o diretor do Instituto de Identificação, Marcus Vinícius Michelotto.

Para o delegado Miguel Stadler, coordenador da Operação Verão, o projeto é uma inovação para o trabalho da Polícia Civil. “Com esta ferramenta teremos uma otimização de recursos, uma vez que diminuiremos consideravelmente o tempo utilizado para o confronto digital, além trazer mais subsídios aos procedimentos de Polícia Judiciária”, destaca.

O evento contou com a presença do diretor do IIPR, Marcus Vinícius Michelotto; do delegado-titular da Coordenação de Informática (COIN), Eduardo Castella; do delegado-titular do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), Rodrigo Brown; do delegado-adjunto da Divisão de Infraestrutura, Marcus Fontes; além do novo delegado-geral que assumirá em janeiro, Silvio Rockemback.

Participaram também todos os funcionários do Instituto de Identificação que cuidaram dos detalhes do projeto juntamente com os servires da Coin e da Celepar. Além de testes rápidos, eles também explicaram o funcionamento do sistema.