“O Brasil não quer impunidade, o Brasil quer coerência”

por Redação JB Litoral
02/03/2018 14:48 (Última atualização: 02/03/2018)

A atual legislatura tem se mostrado repleta de pautas atípicas e polêmicas, como as reformas trabalhista e da previdência, o impeachment de um presidente da república, propostas de combate à corrupção, entre outros. No entanto, as votações não surpreenderam o deputado federal Diego Garcia, do Paraná, que desde o início do seu mandato, busca votar conforme o que é certo, de acordo com suas convicções, de acordo com sua consciência.

Um dos temas mais cobrados da sociedade, nos últimos anos, tem sido o combate à corrupção e o fim da impunidade para as autoridades e políticos. Com o avanço das investigações e o investimento em ações como a Lava-Jato, a justiça finalmente está começando a ser feita, mostrando à população denúncias e escândalos que antes não poderiam vir à tona.

Exemplo de temas polêmicos pautados no Congresso foram as votações para cassação do ex-deputado federal Eduardo Cunha, o Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e as duas denúncias contra o presidente Michel Temer. Diferentemente de muitos parlamentares, Diego Garcia foi um dos poucos a manter a coerência em todas essas votações: votou pela cassação, pelo impeachment e pelo acolhimento das duas denúncias.

“Independentemente de cargo ou partido, eu sempre votarei pela justiça e contra a impunidade. Se há denúncia ou comprovação de crime, o acusado deverá ser responsabilizado e assumir as consequências de suas ações”, destacou Garcia.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O parlamentar, no último ano, também se manteve firme na luta pelo fim do foro privilegiado e para impedir a criação do fundo bilionário para financiar campanhas políticas, indo na contramão da velha e desgastada política. “A população está cansada de ver rios de dinheiro indo pelos ralos. Investimentos que saem da saúde, da educação e do bolso do trabalhador para privilegiar políticos”, disse.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa/Deputado Diego Garcia (PHS/PR)

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments